Petróleo cai abaixo de US$ 90 pela 1ª vez desde fevereiro

Petrobras reajusta valor dos combustíveis de acordo com a cotação do petróleo, mas também considera variação do dólar, que segue elevado

0

O petróleo fechou o pregão desta quinta-feira (4) em queda. Nos últimos dias, a commodity vem registrando fortes tombos em seus valores devido ao temor sobre uma recessão econômica global. A saber, a confirmação desse cenário resultaria na redução da demanda pelo petróleo, e apenas essas projeções já vêm derrubando os preços do produto.

Na sessão, o barril do petróleo Brent, que é a referência mundial, caiu 2,75% e fechou o dia cotado a US$ 94,12. Já o barril do petróleo WTI, que é a referência norte-americana, caiu 2,34%, para US$ 88,54. Em resumo, essa é a primeira vez, desde fevereiro, que o WTI fecha uma sessão abaixo dos US$ 90.

Na verdade, a commodity acumulou fortes altas nos últimos meses devido à guerra entre Rússia e Ucrânia, que vem limitando a oferta do petróleo no mundo. Como consequência, os combustíveis derivados da commodity, como diesel e gasolina, ficaram mais caros, inclusive no Brasil.

Por isso, muita gente fica animada com a queda nos preços do petróleo, pois torce para que a Petrobras também reduza os preços da gasolina e do diesel no país. Em suma, a política de preços da estatal se baseia na cotação internacional do petróleo. Contudo, a empresa também leva em consideração as oscilações do dólar para definir os preços dos combustíveis.

POUPANÇA: veja quanto está rendendo com a nova alta da SELIC

Dólar alcança maior patamar desde janeiro

Na verdade, o dólar e o petróleo tendem a ter variações inversas. Geralmente, quando a moeda norte-americana tem forte alta no dia, o petróleo segue o caminho inverso. Contudo, nesta quinta-feira, ambos caíram fortemente. No caso do dólar, a queda de 1,06% fez a moeda fechar o dia cotada a R$ 5,22.

Apesar da queda, vale destacar que o dólar passou boa parte do ano, entre fevereiro e junho, abaixo da marca de R$ 5,20. Contudo, nas últimas semanas, a divisa encostou na casa de R$ 5,50 no mês passado. Na sessão de ontem, a decisão do Banco Central (BC) em elevar os juros no país acabou enfraquecendo a moeda americana no país.

Seja como for, os temores com a recessão econômica global estão cada vez mais fortes entre os analistas. Esse cenário preocupa os mercados, pois pode resultar no enfraquecimento da demanda por petróleo, bem como de outros importantes itens. Em momentos de incerteza econômica, muitos investidores recorrem ao dólar devido à sua segurança. E isso deve manter a moeda em nível elevado.

Por fim, caso o petróleo continue enfraquecido, abaixo da marca de US$ 90, é possível que a Petrobras promova novos reajustes nos preços dos combustíveis. Aliás, nesta quinta-feira, a estatal anunciou a primeira redução no valor do diesel em mais de um ano. Há uma semana, a companhia também reduziu o preço da gasolina, segunda queda em dez dias.

Leia também: Juros mais altos encarecem o crédito no Brasil

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.