Pernambuco registra diminuição da sífilis congênita

0

A Sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) causada pela bactéria Treponema pallidum. Dentre as formas de transmissão, a doença pode ser propagada por meio da relação sexual desprotegida, da mãe para o bebê durante a gestação, ou por transfusão de sangue contaminado. Quando ocorre entre as gestantes por transmissão vertical (da mãe para o bebê durante a gestação), a doença é denominada sífilis congênita.

Em Pernambuco, de acordo com o informe epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), houve a redução de 12,8% nos registros de sífilis congênita (1.652 em 2019 e 1.895 em 2018) no estado. Na contramão, o número da transmissão entre as gestantes aumentou em 3,9% (3.375 em 2019 e 3.248 em 2018).

De acordo com a SES, isso pode demonstrar que a descoberta durante a gravidez e o tratamento correto, feito com antibiótico (penicilina), podem evitar o adoecimento e sequelas irreversíveis na criança.

“É indispensável que a pessoa gestante faça a testagem para as diversas IST, para que seja oferecido o tratamento adequado nos casos positivos. Em relação à sífilis, é preciso lembrar que as parcerias também precisam ser testadas e tratadas, para que não ocorra uma reinfecção na pessoa gestante e, consequentemente, a transmissão da bactéria ao bebê”, afirma a gerente do Programa Estadual de IST/Aids/HV da SES-PE, Camila Dantas, em entrevista à SES-PE.

Conforme informações da SES-PE, a gestante deve fazer o teste para a sífilis no primeiro trimestre da gravidez ou na primeira consulta de pré-natal. Contudo, se o exame for negativo, este deve ser repetido no terceiro trimestre da gestação.

Nos diagnósticos positivos, além do tratamento, é preciso que a equipe de saúde que acompanha a gestação faça o monitoramento mensal. Contudo, caso não seja tratada, a doença pode provocar aborto, feto morto ou alterações irreversíveis na criança (óssea, oftalmológica, neurológica).

Com informações da SES-PE

Veja também: Sífilis: causas e principais formas de tratamento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.