Pedidos de seguro-desemprego tiveram redução de 12,7% em julho

Redução foi observada em relação aos pedidos de seguro-desemprego feitos em junho; no total, houve 570.543 solicitações em julho

1

O Ministério da Economia informou que os pedidos de seguro-desemprego, na modalidade trabalhador formal, somaram 570.543 em julho. Com isso, houve uma redução de 12,7% na comparação com junho deste ano, quando foram feitas 653.174 solicitações. Já na comparação com julho do ano passado, a redução foi de 8,8%, quando houve 625.605 pedidos.

Contudo, no acumulado dos sete primeiros meses deste ano, houve uma alta de 11,1% no número de pedidos de seguro-desemprego – que somaram 4.521.163. No mesmo período do ano passado, haviam somado 4.068.385.

Pedidos de seguro-desemprego na pandemia

O aumento do número de solicitações de seguro-desemprego ocorre em meio à pandemia do novo coronavírus. De acordo com o Ministério da Economia, do total de pedidos feitos em julho, 377.864 (66,2%) foram realizados pela internet. Eles foram realizados pelo portal gov.br ou por meio da Carteira de Trabalho Digital.

Além disso, os três estados com maior número de requerimentos foram São Paulo (177.305), Minas Gerais (62.274) e Rio de Janeiro (47.075). O setor que mais teve pedidos foi o de serviços (43,3%), seguido por comércio (25,7%), indústria (16,1%), construção (10,5%) e agropecuária (4,3%).

Houve, ainda, mais pedidos de seguro-desemprego feitos por homens (60,7%). Por outro lado, os pedidos de mulheres foram 39,3%. A faixa etária que concentra a maior proporção de requerentes é de 30 a 39 anos, com 32,8%. Em termos de escolaridade, 59,6% têm ensino médio completo.

No acumulado de janeiro a julho, foram contabilizados 4.521.163 pedidos de seguro-desemprego. O número representa um aumento de 11,1% em comparação com o acumulado no mesmo período de 2019, de 4.068.385. Do total de requerimentos, 54,7% (2.474.396) foram realizados pela internet, seja por meio do portal gov.br ou pela Carteira de Trabalho Digital.

Fique por dentro de todas as notícias sobre Economia aqui no Brasil123.

1 comentário
  1. […] Tribunal Regional Federal da 1ª Região decidiu que um empregado celetista tem o direito a receber o seguro-desemprego mesmo depois de um tempo da demissão. Mas de acordo com a decisão, esse dinheiro só será recebido porque foram obedecidas uma série […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.