Pazuello é pressionado para explicar como está a situação dos testes da Covid-19

Como se trata de um convite, o ministro não tem obrigação de comparecer. 

0

Na última terça-feira (24), a Comissão Mista do Congresso Nacional, responsável por acompanhar a demanda em torno do novo coronavírus (covid-19), pediu explicações ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre os testes da doença retidos em estoque, além do andamento da vacina contra o vírus.

Como se trata de um convite, o ministro não tem obrigação de comparecer.

Um dos pedidos solicita uma realização de audiência pública com o ministro para obter “informações e esclarecimentos” sobre o possível descarte de milhões de testes do coronavírus.

A descoberta dos testes encalhados veio após o jornal “O Estado de S. Paulo” revelar que o Ministério da Saúde teria 6,89 milhões de testes em estoque, os quais venceriam em janeiro. Ou seja, o governo por algum motivo segurou a distribuição dos testes a ponto de chegar próximo da data de validade com possibilidade do não uso.

Em outro pedido, que também foi aprovado pela comissão, diz respeito a distribuição de kits de testagem. Os parlamentares desejam saber o porquê não houve repasse desse material e a quantidade exata que se encontra no estoque neste momento.

No segundo pedido, um posicionamento do ministro é obrigatório, tendo 30 dias para explicar a real situação. Caso Pazuello recuse ceder as informações, o ministro pode ser condenado por crime de responsabilidade.

Covid-19 supera a marca de 170 mil mortes no Brasil

Ainda nesta terça (24), o Ministério da Saúde divulgou os dados referentes às últimas 24 horas da pandemia de Covid-19 no Brasil. Desde a semana passada, os casos do novo coronavírus voltaram a ficar em alta no país e assim permanecem.

Com isso, o país está a caminho do décimo mês de pandemia, durante a qual uma média de 30% da população esteve em isolamento. O que é considerado baixo pelos especialistas.

Porém, o Brasil vem demonstrando sinais de uma segunda onda de Covid-19 atualmente. Os números aumentaram em relação aos 14 dias anteriores e se mantêm a média móvel acima de 500 óbitos a cada 24 horas.

Não deixe de ler: Covid-19: STF estabelece prazo para plano de vacinação

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.