Pastor que “orou pela morte” de Paulo Gustavo é condenado; mãe do comediante se pronuncia

José Olímpio, da Assembleia de Deus, foi condenado a dois anos

0

O pastor José Olímpio, da Assembleia de Deus, foi condenado pela Justiça de Alagoas por homofobia, na última quarta-feira (27), após fazer uma postagem no qual dizia orar pela morte de Paulo Gustavo, quando o artista estava internado com Covid-19. O comediante faleceu em 4 de maio de 2021.

Rodrigo Mussi recebe alta do hospital e é transferido para reabilitação intensiva

Na decisão, o juiz Ygor Vieira de Figueirêdo disse que a conduta preconceituosa do pastor foi “cristalina”: “Motivo pelo qual resta demonstrada que a conduta preconceituosa foi feita em virtude da orientação sexual do senhor Paulo Gustavo”.

José Olímpio se desculpou pela postagem e, após ser processado, chegou a afirmar que tudo não passou de um mal entendido. O pastor foi condenado a dois anos e nove meses de prisão, mas a pena foi convertida em prestações de serviço à comunidade. Ele ainda pode recorrer da sentença.

Déa Lúcia, mãe de Paulo Gustavo, repercutiu a condenação: “Ele orou pela morte do meu filho e eu rezo para que ele viva bastante para se arrepender de seus pecados”.

Paulo Gustavo
Reprodução/Instagram

Relembre as afirmações do pastor

O Pastor José Olímpio, da Assembleia de Deus de Alagoas, é alvo de um inquérito do Ministério Público após orar pela morte de Paulo Gustavo, internado com Covid-19. Grupo de defensores dos direitos humanos e LGBTQIA+ se uniram em abril de 2021 para coordenar a denúncia.

Em publicação feita em seu Instagram, o religioso postou uma foto de Paulo Gustavo e pediu aos seus fiéis e seguidores: “Esse é o ator Paulo Gustavo que alguns estão pedindo oração e reza. E você vai orar ou rezar? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si”.

O “dono dele”, no caso, se refere ao Diabo pelo fato de Paulo ser homossexual e casado com um homem, Thales Bretas. Após polêmica e repúdio dos internautas, José Olímpio apagou a publicação, mas ainda assim se tornou alvo do inquérito e de boletim de ocorrência contra homofobia pelo Grupo Gay de Alagoas (GGAL).

Logo depois, José soltou o seguinte comunicado: “Peço desculpa, pois nunca foi intenção do meu coração ferir, ofender ou machucar a nenhum dos ofendidos (que são aos milhares), a começar do ator Paulo Gustavo, que foi atingindo diretamente, passando por seus familiares, amigos, admiradores e muitos fãs, pois o mesmo é uma pessoa querida no mundo artístico”.

“A minha insensatez foi tentar defender a honra de meu Deus, muitas vezes ultrajada de muitos modos e de muitas maneiras e por muitas pessoas, esquecendo-me eu, de que Deus, o Criador do céu e da terra não precisa de quem defenda a sua honra”, finalizou.

 

Veja também: Antonia Fontenelle critica Juliette: “Mimizenta”

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.