Pastor é denunciado por crimes sexuais em igreja de Goiânia

O pastor, de 85 anos, é acusado por pelo menos quatro mulheres, que afirmam ter sofrido abusos e importunações sexuais vindas do religioso

0

Um pastor foi denunciado por pelo menos quatro mulheres que o acusam de abuso e importunação sexual. De acordo com as informações, as vítimas relatam que os casos aconteceram entre os anos de 2002 e 2021, durante atendimentos na Igreja Tabernáculo da Fé, em Goiânia (GO).

Brasil ultrapassa 6 mil denúncias de violência sexual contra crianças em 2021

Os casos acusando o pastor Joaquim Gonçalves Silva, de 85 anos, foram registrados na Polícia Civil. Em nota, a defesa do religioso nega que tenha cometido os crimes e ainda afirma que as denúncias fazem parte de um plano para retirar o suspeito do comando da igreja.

“É um barulho de uma família que busca derrubar o pastor, mas não vão conseguir, ou seja, não é verdadeiro”, afirmou o advogado Osemar Nazareno Ribeiro.

De acordo com uma reportagem do portal “G1”, os abusos aconteceram em momentos de fragilidade, quando as vítimas foram pedir conselhos ao pastor. Segundo essas mulheres, após elas terem sido abusadas, o religioso ainda fazia chantagens, afirmando que elas não deveriam contar o caso para ninguém, pois poderiam ser “amaldiçoadas”.

O pastor, de 85 anos, é acusado por pelo menos quatro mulheres, que afirmam ter sofrido abusos e importunações sexuais vindas do religioso. (Foto: reprodução)
O pastor, de 85 anos, é acusado por pelo menos quatro mulheres, que afirmam ter sofrido abusos e importunações sexuais vindas do religioso. (Foto: reprodução)

Ainda conforme publicou o portal, o caso mais recente aconteceu em janeiro deste ano. Segundo a vítima, de 17 anos, o pastor chegou a beijá-la quando ela esteve em seu escritório pedindo conselhos sobre o que fazer com o seu relacionamento, que estava passando por um momento delicado.

“Fui pedir conselhos depois de ter problemas no meu relacionamento. Foi quando ele colocou a mão no meu corpo e me deu um beijo. Passou a mão pelos meus seios e desceu até embaixo, quando eu o interrompi. Eu fiquei em choque, nunca na vida eu esperei isso dele”, revelou a garota.

Por conta do medo de possíveis julgamentos, a adolescente explicou que só teve coragem de denunciar os abusos depois de três meses do fato, quando ela teve a notícia de que ela não teria sido a única a ser abusada pelo pastor.

“Não é uma coisa que eu me orgulho de falar, porque é horrível você considerar a pessoa como um pai, que era como eu o considerava, e a pessoa aproveitar de você em um momento de fragilidade para fazer uma coisa dessa”, afirmou.

Em nota divulgada nesta quinta-feira (10), a Polícia Civil afirmou que o caso está sendo investigado e que testemunhas já começaram a ser ouvidas. Além disso, o Ministério Público de Goiás (MP-GO) também está apurando o caso.

Leia também: Quase 25% das mulheres sofreram algum tipo de violência na pandemia

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.