Pandemia força celebração online do Dia em Memória ao Holocausto

1

A maioria das solenidades do Dia Internacional em Memória às Vítimas do Holocausto foram online este ano devido pandemia de coronavírus. Nesta quarta-feira (27), o mundo lembra o 76º aniversário da libertação de Auschwitz, o maior campo de concentração da Segunda Guerra Mundial. 

No lugar mais simbólico do Holocausto, onde as forças alemãs nazistas mataram 1,1 milhão de pessoas na Polônia ocupada, a cerimônia anual no local do antigo campo de extermínio de foi virtual. O memorial de Auschwitz está fechado para visitantes por causa da pandemia.

Em um dos poucos eventos presenciais, algumas pessoas se reuniram na capital da Polônia para prestar homenagens em um memorial no antigo gueto de Varsóvia. O local era o maior de todos os guetos onde judeus europeus foram mantidos em condições cruéis e mortais antes de serem enviados para morrer em campos de extermínio.

Em mensagem ao memorial de Auschwitz e à comunidade judaica, o presidente alemão Frank-Walter Steinmeier disse que a natureza online dos eventos de memória não diminui em nada sua importância. “É um dever, mas também uma responsabilidade, que herdamos daqueles que viveram horrores”, afirmou. 

No discurso, Steinmeier falou que o maior perigo começa com o esquecimento.“Sem nos lembrarmos mais do que infligimos uns aos outros quando toleramos o anti-semitismo e o racismo em nosso meio. Devemos permanecer alertas, devemos identificar o preconceito e as teorias da conspiração e combatê-los com razão, paixão e determinação”, completou o presidente da Alemanha.

Outros eventos em memória ao Holocausto

Na Alemanha, o parlamento realizou uma sessão especial para homenagear as vítimas. Na Áustria e na Eslováquia, centenas de sobreviventes receberam as primeiras doses da vacina contra o coronavírus em um gesto simbólico e salvador, dada a ameaça do vírus aos adultos mais velhos. Em Israel, cerca de 900 sobreviventes do Holocausto morreram de Covid-19 entre 5.300 que foram infectados no ano passado.

Israel, que conta com 197mil sobreviventes do Holocausto, marca oficialmente o dia de lembrança do Holocausto em abril. No entanto, também realizou os eventos em todo o país nesta quarta-feira, principalmente virtualmente ou sem a presença do público.

Do Vaticano, o papa Francisco disse que lembrar é um sinal de humanidade e uma condição para um futuro pacífico. O pontífice também falou que ideologias distorcidas podem levar a uma repetição de assassinatos em massa em uma escala horrível.

Leia Também:

1 comentário
  1. […] Waiswol, uma judia sobrevivente do holocausto, que ainda carrega no braço a tatuagem com seu número de registro no campo de concentração, […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.