Número de horas semanais efetivamente trabalhadas continua crescendo, diz IBGE

Em novembro, 16,8% das pessoas ocupadas trabalharam menos horas que as habituais

1

O número de horas efetivamente trabalhadas durante a semana continuou subindo no mês de novembro em todas as regiões do país. A saber, o valor médio no mês passado ficou em 36,1 horas trabalhadas semanalmente, ante 35,7 horas trabalhadas em outubro. Em comparação com o número habitual, a quantidade de horas de trabalho ainda está inferior, visto que o valor chegava a 40 horas. Em suma, o aumento nas horas trabalhadas reflete o avanço no processo de retomada das atividades econômicas do Brasil. 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou as informações nesta quarta-feira, dia 23. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Covid-19). 

Além disso, o IBGE informou que a diferença entre os indicadores de horas semanais habituais e efetivamente trabalhadas de todos os trabalhos ficou em 4,7 horas para as mulheres. Já em relação aos homens, a diferença foi de 3,4 horas. 

 

Veja detalhes sobre as horas habituais e as efetivamente trabalhadas 

Por fim, a pesquisa também apresentou dados sobre a quantidade de pessoas que trabalharam menos horas em novembro do que habitualmente trabalham. O percentual chegou a 16,8. A saber, em setembro, o valor estava em 19,6%. Isso mostra que o indicador vem apresentando decréscimo a cada mês, indicando retorno ao trabalho habitual. Em resumo, o valor alcançado no mês passado correspode a 13,5 milhões de pessoas. 

Por outro lado, 3,2 milhões de pessoas trabalharam mais em novembro do que habitualmente o fazem. Dessa forma, o percentual de pessoas ocupadas e não afastadas chegou a 4,0%, segundo o IBGE.

 

LEIA MAIS

Inflação medida pelo IPC-S apresenta retração nas sete capitais pesquisadas

Variação do índice de custo da construção desacelera em dezembro

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.