Nova cepa do coronavírus é identificada no Reino Unido

Velocidade de transmissão da nova cepa do vírus é 70% maior e oferece mais risco de infecção para crianças quando comparada à cepa anterior.

4

Na última semana, foi identificada no Reino Unido uma nova cepa do coronavírus. Segundo autoridades locais, essa cepa do vírus seria capaz de se espalhar 70% mais rápido do que a cepa anterior da covid-19. Como resultado, começou uma corrida em diversos países para a adoção de medidas que possam reduzir os riscos de agravar a transmissão do vírus e a pandemia no mundo. Por exemplo, mais de dez países da União Europeia interromperam ou restringiram as conexões com o Reino Unido. Apesar disso, nenhuma medida semelhante foi tomada no Brasil até o momento.

Atualmente, foram registrados casos de infecção pela nova cepa do coronavírus na Dinamarca, Itália, Holanda, África do Sul e Austrália. De acordo com pesquisadores, a situação seria uma “evolução do vírus”, que passou a se multiplicar e espalhar-se mais rapidamente.

A mutação chamada de N501Y estaria em circulação no Brasil desde o mês de abril e é capaz de se alocar com mais eficiência nas células humanas. Como resultado, a concentração do vírus em cada paciente acaba sendo maior. Autoridades ainda não sabem se a nova cepa do vírus é mais letal. Para o ministro britânico da Saúde, Matt Hancock, será muito difícil manter a N501Y sob controle até que haja uma vacina.

De acordo com o Imperial College, de Londres,  ao contrário das cepas anteriores, essa mutação seria mais capaz de infectar as crianças.

OMS alerta para nova cepa

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que essa mutação poderá afetar a eficácia de alguns métodos de diagnóstico. Desse modo, é possível que o desenvolvimento das vacinas contra a covid-19 seja afetado pela mutação. Caso o vírus continue mutando – algo frequente nesses casos – é possível que as vacinas precisem ser reformuladas. Assim, haveria um atraso nos cronogramas de vacinação em todo o mundo. Outra variante, chamada de B 1.1.7 também foi identificada.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.