No Parlamento Europeu, Bolsonaro é acusado de crimes contra humanidade

0

Nesta quinta-feira (15), no Parlamento Europeu, o presidente Jair Bolsonaro foi criticado pela atual situação pandêmica no Brasil. Ainda apresentaram as questões do embaixador Marcos Galvão. Em suma, a audiência ocorreu em um momento em que a CPI começa a assombrar o setor executivo. 

A alemã Anna Cavazzini, eurodeputada pelo Partido Verde e vice-presidente da delegação do Parlamento Europeu,  cobrou do governo ações sobre as mortes de indígenas juntamente com o fracasso das políticas públicas no país. 

“A covid-19 virou uma crise social, com pessoas indo para cama com fome. O que o governo vai fazer sobre isso?”, questionou.

Hoje (15), foi liberado pelo governo o convite que Bolsonaro recebeu para participar do comitê convidado pelos Estados Unidos sobre o Meio Ambiente. Jair pede ajuda a Biden e a escala internacional para que consigam proteger a Amazônia.

Bolsonaro é criticado pela União

A deputada ainda se questionou sobre onde estaria o dinheiro que é enviado pela UE, União Européia, para o Brasil durante todo esse tempo.

Miguel Urban Crespo, do partido de esquerda Podemos, foi ainda mais duro que a deputada e chegou a dizer que o presidente do Brasil teria declarado guerra aos pobres e que toda a quantidade de 360 mil mortes tem causa política e que todos sabem o responsável. 

Citou que apenas 3% da população foi vacinada e que o país se tornou o epicentro da pandemia, perdendo apenas para os Estados Unidos quando era governado por Trump.  

Já Clara Aguilera, voltou a se questionar se o auxílio emergencial realmente era o suficiente ou se seria puro marketing do governo perante os outros países. O valor é de R$ 150 para as pessoas que moram sozinhas, R$ 250 para famílias com duas ou mais pessoas e de R$ 375 para mães solo com adolescentes de até 17 anos. 

Hoje foi liberado uma nova parcela para aqueles que nasceram no mês de maio e no domingo (18), deve ser para aqueles que nasceram no mês de abril. 

“O pessoal médico está cansado. Mas o Brasil tem a capacidade de vacinar. O que precisa é de mais vacinas”, disse Gross.

Leia mais: Ex-ministro Pazuello e secretário da Saúde do AM são processados por crise de oxigênio no estado

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.