Nigéria: centenas de alunos sequestrados são libertados

1

Centenas de estudantes sequestrados em 11 de dezembro em um ataque armado a uma escola na Nigéria foram libertados na última quinta-feira (17). O ataque da semana passada foi reivindicado pelo grupo terrorista islâmico de Boko Haram, organização criminosa que atua há anos no país.

Leia mais: Líbia liberta pescadores italianos detidos por mais de 100 dias

Os alunos libertados, mais de 300, desapareceram depois que pistoleiros em motocicletas invadiram uma escola pública do governo, no noroeste do país. O governador do estado de Katsina, Aminu Bello Masari, disse que 344 crianças foram libertadas e estavam detidas na floresta de Rugu, no estado vizinho de Zamfara. As vítimas estão em hospitais do norte da Nigéria para a verificação das condições físicas e devem voltar para as suas famílias ainda nesta sexta-feira (18).

De acordo com Masari, “a maioria” dos estudantes sequestrados teria sido libertada. No entanto, a imprensa internacional ainda não confirma o número exato de alunos libertados em comparação com os sequestrados na última sexta-feira.

Masari relatou que as forças de segurança nigerianas isolaram a área onde os meninos estavam detidos e receberam ordens para não atirarem. Um governador assistente disse à agência de notícias AFP que os 344 estudantes libertados estão no estado de Zamfara, onde os médicos estão verificando suas condições físicas. Eles deveriam voltar para suas famílias na sexta-feira.

Sequestros na Nigéria

Na Nigéria, o sequestro de estudantes gerou preocupação e raiva sobre a insegurança e a violência no norte do país. O presidente Muhammadu Buhari escreveu no Twitter: “Nosso governo está plenamente ciente da responsabilidade que temos de proteger as vidas e propriedades de todos os nigerianos. Peço aos nigerianos que sejam pacientes conosco enquanto enfrentamos os desafios de segurança, economia e corrupção. Nós não desistiremos”.

Na última quinta-feira (17), dezenas de manifestantes marcharam pelas ruas da cidade de Katsina com o banner #BringBackOurBoys. O slogan lembra a campanha lançada em 2014 para trazer para casa mais de 200 meninas sequestradas pelo Boko Haram na cidade de Chibok, no nordeste do país.

A marcha em Katsina foi promovida por um apelo da Coalition of Northern Groups (CNG), uma associação de direitos civis que trata dos problemas sociais do norte da Nigéria. De acordo com dados da Anistia Internacional, gangues de criminosos que operam no noroeste do país mataram mais de 1.100 pessoas apenas no primeiro semestre de 2020.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.