Nigéria: bandidos explodem prisão e libertam mais de 1.800 detentos

0

Homens armados destruíram com explosivos parte de uma prisão na cidade de Owerri, no sudeste da Nigéria, liberando 1.844 pessoas que estavam detidas nas instalações. Um policia foi baleada durante a ação, que ocorreu na última segunda-feira (5). De acordo com a mídia internacional, 35 presos não queriam escapar, enquanto pelo menos seis retornaram após a fuga inicial. 

Ataque a presídio da Nigéria
Uma sala com documentos ficou destruída após a explosão em Owerri, na Nigéria (Reprodução: AP)

Conforme as autoridades, a responsabilidade pelo ataque seria atribuída à Rede de Segurança Oriental, a ala paramilitar do movimento separatista Indígena Biafra, que negou qualquer envolvimento. O presidente Muhammadu Buhari chamou a ação de “um ato de terrorismo”.

Movimentos separatistas na Nigéria

A República de Biafra era um estado separatista no sudeste da Nigéria, na área que domina o Golfo de Biafra e onde existem os maiores campos de petróleo do país. A sua independência durou de 1967 a 1970 e nesses anos provocou a guerra civil nigeriana, ao final da qual Biafra foi reincorporado na Nigéria. O conflito causou a morte de milhões de pessoas, também por causa da fome devido ao bloqueio de acesso às necessidades básicas posto pelo governo central da região.

Nos últimos anos, os movimentos separatistas foram parcialmente reativados e as forças de segurança nigerianas reprimiram consistentemente os protestos pela força, em alguns casos matando manifestantes pacíficos pró-Biafra.

Já nos últimos meses, na região sudeste da Nigéria, houve vários ataques a delegacias de polícia e outras estruturas, que muitas vezes foram atribuídos aos povos indígenas de Biafra. No entanto, o grupo sempre negou a responsabilidade.

Leia também: Tentativa de golpe de estado na Jordânia preocupa parte do mundo

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.