Mutação da Covid-19 nascida no Amazonas chega em SP

A informação foi divulgada pelo Instituto Adolfo Lutz, que afirma que essa variante tem sido apontada como um dos motivos para explosão de casos da Covid-19 em Manaus

1

As novas mutações da Covid-19 não param de se espalhar. Agora, foi a vez da variante do Amazonas chegar até a cidade de São Paulo. A informação foi divulgada nesta terça-feira (26) pelo Instituto Adolfo Lutz, que afirma que essa variante tem sido apontada como um dos motivos para explosão de casos da Covid-19 em Manaus.

Leia também: Israel: Internações de idosos caem 60% após vacinação contra covid-19

De acordo com o instituto, a variante da Covid-19 do Amazonas, batizada de P1, que está por trás do maior número de casos hoje no estado, infectou três pessoas em São Paulo. Os pesquisadores que estudam a nova linhagem publicaram os resultados da análise de novas amostras colhidas de pacientes de Manaus.

Para se ter uma ideia, de acordo com os estudos, em dezembro, 52,2% dos casos na capital do Amazonas foram provocados pela mutação. Em janeiro, o número subiu para 85,4%. A presença de outras linhagens caiu de 96,3%, entre março e novembro, para 8,3%, agora em janeiro.

Em nota, a imunologista do instituto, Ester Sabino, revela que a nova variante deve ser mais transmissível. “Tudo indica que essa variante da Covid-19 tem uma capacidade replicativa maior, uma capacidade de transmissão maior e, com isso, ela acaba tomando conta da epidemia”, diz.

Desafio é frear a mutação

Os cientistas alertam para um desafio gigante: impedir que a variante do Amazonas se espalhe e seja a predominante no Brasil inteiro. O vírus viaja junto com os infectados. No caso do Amazonas, pelos rios, estradas e aeroportos.

Entenda: OMS diz que variante do coronavírus está em 60 países

Os pesquisadores do Observatório da Covid-19 no Brasil mapearam os aeroportos do país, com base nos deslocamentos mais frequentes, antes da pandemia, para saber onde é maior o risco da contaminação pela variante do Amazonas.

As rotas mais vulneráveis são para:

  • São Paulo – Congonhas, Guarulhos e Viracopos;
  • Brasília;
  • Manaus;
  • Rio de Janeiro – Santos Dumont e Galeão;
  • Belo Horizonte;
  • Vitória;
  • Salvador;
  • Recife;
  • Fortaleza;
  • Curitiba;
  • Florianópolis;
  • Porto Alegre.

Em nota, a Infraero declarou que segue as determinações da Anvisa e que os terminais de passageiros estão sinalizados, com alertas recomendando o distanciamento social, o uso de máscara, a higienização de mãos e todas as outras recomendações para frear a disseminação da Covid-19 nos locais.

Leia Também:

1 comentário
  1. […] O resultado da pesquisa indica que, assim como todo o material analisado, as infecções recentes que aconteceram em Manaus são causadas pela nova mutação, que também já foi encontrada em São Paulo. […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.