Mutação da Covid-19 faz Reino Unido voltar ao alerta máximo; entenda

A nova mutação fez com que o Reino Unido desistisse dos planos de aliviar as restrições de circulação durante o Natal diante de evidências que apontam que essa variante em circulação pode ser até 70% mais transmissível

2

Não, caro, leitor, você não leu errado. Há sim uma nova mutação da Covid-19, a “VUI – 202012/01”, que fez com que o Reino Unido desistisse dos planos de aliviar as restrições de circulação durante o Natal diante de evidências que apontam que essa variante em circulação pode ser até 70% mais transmissível.

Leia também: 8 em cada 10 brasileiros tiveram Covid-19 ou conhecem alguém que teve

A mutação foi descoberta no sul do Reino Unido e revelada pelo chefe da Autoridade Médica inglesa, Chris Whitty. Ele disse que o Reino Unido informou o acontecimento à Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo cientista especialistas em genética do COG-UK, essa nova composição do vírus inclui uma mutação genética na proteína S que, em tese, poderia fazer a Covid-19 se disseminasse mais facilmente entre as pessoas.

De acordo com eles, mutações ou mudanças genéticas ocorrem naturalmente em todos os vírus, especialmente os de RNA, como é o caso da Covid-19, na medida em que eles se duplicam e circulam em populações humanas.

Ainda segundo eles, no caso da Covid-19, essas mutações estão se acumulando em um ritmo de cerca de uma ou duas por mês. A maioria das mutações vistas até agora não teve efeito aparente no vírus, e é provável que só uma minoria altere o patógeno de qualquer maneira significativa”, afirmam.

“Essas [mudanças] que podem vir a conseguir alguma alteração significativa podem tornar o vírus mais eficaz na forma de infectar pessoas, mais inclinado a causar uma doença grave ou menos sensível a defesas imunológicas naturais ou induzidas por vacinas”, explicam.

Primeiras medidas contra mutação da Covid-19

O Reino Unido anunciou que vai endurecer lockdown diante desta mutação da Covid-19. No sábado (19), o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou que Londres e o sudeste da Inglaterra passam do nível 3 de restrições para o nível 4 – o mais alto.

A mudança começou a valer neste domingo (20) e vai até 30 de dezembro. Com as novas medidas, moradores devem ficar em casa, com isenções limitadas. Lojas, academias, locais de lazer e de cuidados pessoais serão fechados.

No começo do mês, Margaret Keenan, uma vovó britânica de 90 anos, foi a primeira a receber a vacina contra a Covid-19 no país.
No começo do mês, Margaret Keenan, uma vovó britânica de 90 anos, foi a primeira a receber a vacina contra a Covid-19 no país.

Além disso, moradores de regiões em nível 4 não devem se misturar com ninguém fora de sua casa no Natal. Com a medida, o Reino Unido ingressa na lista de países europeus que decretaram, nos últimos dias, bloqueios mais rígidos para frear a disseminação da Covid-19 antes das festas de fim de ano. Itália, Suíça, Alemanha, França, Áustria e Suécia também apertaram as medidas de isolamento.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.