Mundo ultrapassa 3 milhões de mortes por Covid-19

Total de casos já ultrapassa a marca de 140 milhões.

0

Em meio a maior pandemia do século XXI, mais uma marca simbólica foi ultrapassada neste final de semana (17 e 18 de abril), ao atingir mais de 3 milhões de mortes desde o início da crise pandêmica.

Leia também: Brasil teve a quinzena mais letal desde o início da pandemia.

Estados Unidos segue sendo o país onde mais pessoas morreram em decorrência da doença, contabilizando, até esta data, 567.198 mortes.

Já o Brasil ocupa o segundo lugar como país onde mais morreram pessoas em decorrência da doença, registrando 371.678 óbitos.

Todos os dados são de acordo com as mais recentes atualizações da Universidade John Hopkins.

3 milhões de mortes: TOP 5 em números de casos e óbitos no mundo

Em relação ao número de casos, atualmente estão contabilizados 141.015.440 registros confirmados de infecções para o novo coronavírus.

Neste sentido, Estados Unidos também lidera o ranking, com mais de 31 milhões de casos, seguido pela Índia, com quase 15 milhões, enquanto o Brasil vem em terceiro, chegando à marca de 14 milhões de casos registrados.

Em seguida, vem os seguintes países em números de casos: França (5.35 milhões), Rússia (4.64 milhões) e Reino Unido (4.40 milhões).

Já quando nos aprofundamos em relação ao número de mortes, lembrando que foi nesta data que o mundo ultrapassou a marca de 3 milhões de mortes, o Brasil ultrapassa a Índia e fica em segundo lugar, com mais de 371 mil mortes.

Em terceiro lugar de país mais letal vem o México, com mais de 212 mil óbitos, acompanhado da Índia, na quarta posição, somando mais de 177 mil mortes.

Para fechar o TOP 5 de países mais letais em relação à pandemia, está o Reino Unido que soma, desde o início, o total de 127 mil óbitos em decorrência do doença.

Projeções para o futuro

A Universidade de Washington vem se tornando uma referência mundial no que diz respeito a projeções sobre a quantidade de mortes em cada localidade.

E no sentido global, a Universidade projeta o seguinte:

– 4 milhões de mortes: a marca deve ser atingida no próximo mês, em maio, entre os dias 18 e 20;

– 4,5 milhões de mortes: no pior dos cenários projetados, a marca deve ser ultrapassada em 17 de junho, enquanto que, na melhor das possibilidades, o número deve ser batido somente após o mês de agosto.

– 5 milhões de mortes: observando somente o pior cenário projetado, já que o estudo até o momento, se limita ao mês de agosto, prevê-se que o mundo ultrapasse a marca de 5 milhões de mortes por volta do dia 27 de julho.

Em relação especificamente ao Brasil, já escrevemos esta matéria que aponta as principais projeções da Universidade de Washington para o país.

O cenário no Brasil

Com cerca de apenas 2,7% de toda a população mundial, o Brasil amarga a segunda colocação de país onde mais morreram pessoas em decorrência da Covid-19, sendo responsável por mais de 10% das mortes mundiais.

Vale notar também, que o país é um dos que menos realiza testes no mundo, considerando este dado aplicado a cada milhão de habitantes, de acordo com os dados do World of Meters, um dos únicos levantamentos que exibe as informações a respeito da quantidade de testes aplicados em cada país.

Outro fator a ser salientado, não somente sobre o Brasil, mas em nível reconhecidamente grande ao redor de todo o globo, é o que diz respeito à subnotificação tanto dos casos, como no número absoluto de mortes.

E, neste sentido, estima-se que já tenha ocorrido bem mais do que 3 milhões de mortes em decorrência da Covid-19 em todo o mundo e que o número de casos também já seja muito superior a 140 milhões.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.