Mortes por doenças cardiovasculares aumentam

Número de mortes causadas por doenças cardiovasculares registradas nos cartórios subiu 31% durante pandemia.

0

Em meio à pandemia do novo coronavírus, os cartórios veem o número de registros de mortes por causas diversas dispararem. De acordo com o Portal da Transparência do Registro Civil, o número de mortes por doenças cardiovasculares registradas nos cartórios brasileiros subiu 31%. As informações são do Arpen (Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais) e da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia). A informação se refere ao período que vai de 16 de março a 31 de maio deste ano, em comparação com o mesmo período de 2019.

Segundo especialistas, essa alta pode estar acontecendo em função da subnotificação de casos de Covid-19 ou devido à sobrecarga do sistema de saúde, que estaria com poucas condições de prestar atendimento aos pacientes.

Mortes por outras doenças também aumentaram

Não foi apenas o número de mortes relacionadas a problemas cardiovasculares que subiu durante a pandemia. De acordo com o Portal da Transparência do Registro Civil, cresceu em 43% o número de óbitos por causa indeterminada. O dado é contabilizado desde o mês de fevereiro, quando surgiram os primeiros casos de Covid-19 no Brasil.

Além disso, o número de óbitos registrados como morte súbita, parada cardiorrespiratória ou choque cardiogênico aumentaram de 14.938 casos registrados em 2019 para 19.573 em 2020.

Igualmente, também houve um aumento no número de mortes registradas em domicílio. Em São Paulo, estado brasileiro com maior número de mortes registradas por Covid-19, a alta de óbitos em domicílio foi de 14,5%. Os dados se referem ao período entre 16 de março e 30 de abril de 2020, comparado com o ano anterior. O Distrito Federal e estados como Paraná e Pernambuco também registraram altas de 31,1%, 21,8% e 20,3% no número de óbitos em domicílio, respectivamente. Nesse sentido, os óbitos registrados se referem à Síndrome Respiratória Aguda Grave (105), pneumonia (1.471), insuficiência respiratória (1.884), septicemia ou infecção generalizada (684) e causa indeterminada (594).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.