Mortes de crianças por Covid-19 não estão em patamares aceitáveis, afirma Sociedade de Pediatria

0

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) publicou um manifesto nesta sexta-feira (24) defendendo a vacinação contra Covid-19 de crianças entre 5 e 11 anos e pedindo urgência na decisão por parte do Ministério da Saúde, que optou por abrir uma consulta pública sobre o tema ao invés de iniciar os trâmites necessários para garantir a imunização infantil.

O documento da SBP soa como uma resposta ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que ontem (23) afirmou que “os óbitos de crianças estão dentro de um patamar que não implica em decisões emergenciais“.

“Ao contrário do que afirmou recentemente o ministro da Saúde, o número de hospitalizações e de mortes motivadas pela covid-19 na população pediátrica, de forma geral, incluindo o grupo de crianças de 5-11 anos, não está em patamares aceitáveis. Infelizmente, as taxas de mortalidade e de letalidade em crianças no Brasil estão entre as mais altas do mundo”, declarou a entidade.

O imunizante da Pfizer contra Covid-19 foi aprovado para uso infantil pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no dia 16 de dezembro, entretanto, para que a vacinação de crianças comece de fato, o Ministério da Saúde precisa incluir a vacina de uso pediátrico no PNI (Programa Nacional de Imunização), além de garantir a compra das doses.

Covid-19 matou mais de 300 crianças de 5 a 11 anos

No texto divulgado hoje, a SBP apresenta estatísticas de óbitos do público infantojuvenil pela Covid-19. “Até o momento, a covid-19 vitimou mais de 2.500 crianças de zero a 19 anos, sendo mais de 300 delas confirmadas no grupo de 5-11 anos, causando ainda milhares de hospitalizações”.

A entidade ainda ressaltou que a Covid-19 pode trazer outras complicações, como a Síndrome Inflamatória Multissistêmica, que já matou ao menos 85 crianças, e a covid longa, quando é observada a persistência dos sintomas da doença.

“Diante deste cenário, a vacina contra a covid-19 se apresenta como uma alternativa real de controle e prevenção destes desfechos da doença e que está ao alcance dos responsáveis pelas políticas públicas de saúde do nosso país”, enfatizou a SBP no documento, destacando que a imunização tem sido fundamental para reduzir o número de hospitalizações e mortes por Covid-19 no país.

“O Brasil se encontra diante de hospitalizações, sequelas e mortes que são passíveis de prevenção em sua grande maioria. Ignorar este fato, minimizar sua importância e afirmar que elas são aceitáveis não são atitudes esperadas das autoridades. A sociedade espera e merece outro tipo de postura e de compromisso com a saúde das crianças e adolescentes do Brasil”, finalizou a Sociedade Brasileira de Pediatria.

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.