Morre Alberto Dualib, ex-presidente do Corinthians, aos 101 anos

Ele estava no hospital desde 13 de junho, mas a causa da morte não foi informada

0

Morreu em São Paulo, aos 101, o ex-presidente do Corinthians, Alberto Dualib, na noite desta última terça-feira (13).

Viúvo desde 2011 de Elvira Real Dualib, o ex-dirigente do Timão deixou três filhos, netos e bisnetos. Assim, a causa da morte dele não foi informada pelos familiares.

No entanto, desde o último dia 13 de junho Dualib já estava internado em São Paulo, no Hospital Santa Catarina, onde vinha sendo acompanhado pelos médicos. Agora, a morte do dirigente causou comoção e reação de pessoas ligadas ao mundo do futebol.

“Com pesar, o Corinthians informa o falecimento do ex-presidente Alberto Dualib, aos 101 anos”, escreveu o clube em suas redes sociais.

Andrés Sánchez, ex-presidente do Timão, também usou as redes sociais para lamentar a morte do ex-dirigente.

“Infelizmente hoje nos deixou um grande corinthiano que muitos reclamam mas foi um grande presidente vá com Deus amigo e sabemos que sempre olhará pelo Corinthians Alberto Dualib”, disse. “Todos meus sentimentos aos amigos e familiares”, continuou.

Histórico

Alberto Dualib se tornou presidente do Corinthians pela primeira vez em 1992. Depois, esteve à frente do clube nas grandes conquistas do período do Timão. Por exemplo, com ele, o Timão venceu pela primeira vez a Copa do Brasil, em 1995.

Em seguida, foi bicampeão brasileiro em 1998 e 1999 e ainda campeão mundial de clubes da Fifa em janeiro de 2000 Na época, o clube tinha parceria com a empresa norte-americana Hicks Muse.

Ainda no mandato dele, em 2002, o Timão ganhou mais um título da Copa do Brasil e também o extinto torneio Rio-São Paulo.

Também foi no mandato dele, em 2005, que o clube ganhou o polêmico título brasileiro, quando havia parceria com a empresa MSI. Na oportunidade, 11 jogos foram anulados por escândalo de arbitragem.

E, nas partidas remarcadas, o Corinthians acabou se saindo melhor e faturou o título com 3 pontos de vantagem sobre o Internacional.

Anos depois, em uma gravação telefônica, Dualib aparece dizendo que o título de 2005 foi “roubado” e que “o campeão de fato e de direito seria o Internacional”.

Em 2007, acusado de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro pelo Ministério Público, por conta da parceria com a MSI. Dualib sofreria impeachment na presidência, mas deixou o cargo antes.

Naquele ano, o Corinthians foi rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro pela primeira vez em sua história. Depois disso, Dualib se afastou do dia a dia político do clube e perdeu bastante popularidade entre os torcedores.

Leia também: Messi vai renovar com o Barcelona por 5 anos, diz jornal espanhol

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.