Moro diz que dará consultoria para ‘ajudar empresas a fazer coisa certa’

"Ingresso nos quadros da renomada empresa de consultoria internacional Alvarez&Marsal para ajudar as empresas a fazer coisa certa", declarou

0

Anunciado no domingo (29) como novo diretor da empresa de consultoria americana Alvarez & Marsal, escritório que atua como administradora judicial da Odebrecht, empreiteira investigada pela Lava Jato, o ex-ministro Sergio Moro usou suas redes sociais para se pronunciar sobre o novo emprego nesta segunda-feira (30).

Leia também: Maia diz que centro ‘virá forte em 2022’

“Ingresso nos quadros da renomada empresa de consultoria internacional Alvarez&Marsal para ajudar as empresas a fazer coisa certa, com políticas de integridade e anticorrupção. Não é advocacia, nem atuarei em casos de potencial conflito de interesses”, disse em sua conta no Twitter.

No anúncio divulgado em seu site, a empresa afirma que o ex-juiz vai comandar a área de disputas e investigações. O objetivo, segundo o comunicado, é que Moro possa “desenvolver soluções para disputas complexas, investigações e questões de compliance” para os clientes da empresa, com base em sua experiência governamental.

O anúncio destaca ainda que Moro é “especialista em liderar investigações anticorrupção complexas” e também em estratégias de compliance. Vale lembrar que, como juiz federal no Paraná, Moro condenou a Odebrecht com base nas acusações da força-tarefa do Ministério Público Federal do Paraná.

“[Moro] Deu tiro no próprio saco”

A decisão Sergio Moro de aceitar o convite para atuar como sócio-diretor da consultoria surpreendeu políticos dos diferentes partidos que apoiam e apoiaram a Operação Lava Jato ao longo dos últimos anos.

No entanto, a reação mais emblemática, sem dúvidas, partiu do senador Major Olimpio (PSL-SP), que por várias vezes fez discursos e publicações defendendo o ex-juiz em seus embates contra o PT e, posteriormente, contra o presidente Jair Bolsonaro. “Não conheço os termos, mas acho que ele deu um tiro no próprio saco e não no pé”, disse Olimpio. “As sequelas são piores”, declarou.

Para o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), “a contratação de Moro por essa empresa é um pouco mais grave do que simplesmente lamentável”. No Twitter, Randolfe completou que “o doutor Sergio Moro entrou em rota descendente desde que aceitou ser ministro do governo Bolsonaro e essa é só mais uma contradição gravíssima com a trajetória que ele tinha construído”, afirmou.

De acordo com as informações publicadas pela consultoria americana Alvarez & Marsal, o ex-ministro Sergio Moro começa a aturar na nova função a partir de dezembro.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.