Moda íntima: o que mudou em 2020

0

A moda intima, assim como a moda geral, acompanha tendências, mudanças sociais e a dinâmica contemporânea. Portanto, a pandemia do coronavírus e a necessidade de estarmos em casa por períodos mais longos mudou, inclusive, a moda íntima.

Dessa forma, aposentamos o famoso fio-dental e colocamos para jogo aquelas calcinhas conhecidas por serem “antisexy”. Ou seja, optamos por materiais sustentáveis, de origem natural e mais confortáveis.

O relacionamento das pessoas com as roupas mudou drasticamente de uma hora para outra. Logo, o consumo geral das pessoas passou por uma fase de análise e considerações em 2020. O mundo da moda instaurou o novo modelo de desfile: o online, a moda se tornou mais inclusiva, livre e fora do calendário eurocêntrico de produção.

A moda intima de 2020

A calcinha de cintura alta está de volta! Este modelo é considerado retrô, mas existe uma grande procura no mercado e é ótimo para a silhueta feminina. Além disso, o enchimento também foi outro ponto que mudou durante o ano, as mulheres deixaram de optar por este tipo de peça. Isso se deu porque houve uma valorização do corpo natural das mulheres sem nenhum artifício para alterá-lo.

Existem muitas referências visuais de modelos, influenciadoras digitais e famosas no geral adotando looks com lingerie aparente. Tops de tricô com blazeres, camisas de tecido leve com sutiãs rendados e conjuntos de hot pants aparentes são exemplos de utilização da moda íntima.

Portanto, se liberte de ideias ou padrões antigos e tenha orgulho do seu corpo que muitas opções de looks se abriram. Acredite, esse é o momento perfeito para essas mudanças e o incentivo da autoestima!

Gostou das nossas dicas sobre moda íntima em 2020? Então, deixe seu comentário no espaço abaixo! Além disso, aproveite também para compartilhar esse artigo em todas as suas páginas nas redes sociais. Até a próxima!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.