Ministro Paulo Guedes informa valores do programa Renda Brasil, confira

2

O ministro da economia, Paulo Guedes, tem falado há um certo tempo sobre o programa social Renda Brasil; uma ação conjunta que vem sendo preparada pela equipe econômica e a área social do governo.  

O objetivo do novo programa social segundo Guedes, é ampliar a cobertura do Bolsa Família, através da inclusão dos informais, desempregados e autônomos que estão recebendo o Auxílio Emergencial. 

Além disso, o programa vai incorporar outras ações do governo, como o Fundo de Amparo ao Trabalhador e o Seguro Defeso. 

O projeto ainda está em processo de desenvolvimento, mas o ministro já esclareceu que pretende utiliza-lo como substituto do Bolsa Família. Atualmente o Bolsa Família atende a 43,7 milhões famílias, o que representa 20% da população. 

No entanto, especialistas defendem que um novo programa precisaria ampliar o público para 50%, já que a pandemia deve agravar ainda mais a desigualdade econômica no país. 

Apesar do Renda Brasil ainda estar passando por ajustes, o ministro Paulo Guedes, informou que o programa de renda mínima permanente, irá pagar entre R$ 200 e R$ 300.  

Com isso, sua abrangência será maior que a do Bolsa Família, que hoje disponibiliza entre R$ 89 e R$ 205 para famílias com crianças ou adolescentes na escola. 

Segundo estudos do governo, aproximadamente 31 milhões de brasileiros farão parte do Renda Brasil, incluindo 20 milhões que recebem o auxílio emergencial por serem beneficiários do Bolsa Família e mais 11 milhões que foram incluídos agora, após novo cadastramento, entre os muitos trabalhadores informais e empreendedores por conta própria. 

DÚVIDAS SOBRE O RENDA BRASIL 

O governo vai sacrificar outros programas para criar o Renda Brasil?  

Sim. Para a criação de um novo auxílio é preciso que o governo revise os programas já existentes, e identifique pontos ineficientes para justificar uma substituição.   

Os técnicos analisam reconsiderar gastos como:  

· Abono salarial (benefício de um salário mínimo voltado para quem ganha até dois pisos, mas que acaba sendo recebido também por jovens de classe média em início de carreira);  

· Seguro-defeso (pago a pescadores artesanais no período de reprodução dos peixes, quando a pesca é proibida, mas com alto índice de irregularidades);  

· Farmácia popular (é possível pegar remédio bancado pelo governo federal sem exigência de uma renda máxima).  

O Renda Brasil ainda não possui uma data certa para implementação, no entanto o ministro da economia, falou que pretende retomar os estudos sobre o tema após o fim do pagamento do auxílio emergencial. 

2 Comentários
  1. […] manhã, o ministro Paulo Guedes, comentou sobre prorrogação do benefício, porém não entrou em detalhes. Segundo o ministrou as […]

  2. Romil filho Diz

    Minha última parcela do seguro desemprego foi no 10 /05/2020 no dia 09/05/2020.no mês de junho veio o resultado do auxílio dizendo que estava recebendo seguro como se demora quase um mês processando na Dataprev.tenho 27 anos de carteira assinada pagando a previdência agora quando preciso é essa agonia

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.