Ministra do STF dá prazo para que Bolsonaro explique sobre mudanças no 07 de Setembro no Rio

A determinação acontece após uma ação da Rede afirmar que a ideia de Bolsonaro de alterar o local do desfile tem motivação eleitoral

0

Cármen Lúcia, ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), deu um prazo de cinco dias para que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), dê explicações sobre seus planos de alterar o local em que ocorrerá o desfile de 07 de Setembro no Rio de Janeiro.

‘Vamos fazer maior 7 de Setembro possível’, afirma Bolsonaro

A determinação acontece por conta de uma ação proposta pelo partido Rede Sustentabilidade. No documento, que tem Cármen Lúcia como relatora, a legenda afirmou que a ideia de alterar o local onde o desfile ocorrerá é uma decisão que Bolsonaro tomou com motivação eleitoral.

Na ação, a Rede Sustentabilidade citou a declaração de Bolsonaro no último sábado (30). Na ocasião, durante a convenção que marcou a candidatura do ex-ministro de Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos) ao governo de São Paulo, o chefe do Executivo declarou que o desfile de 07 de Setembro no Rio de Janeiro havia sofrido mudanças.

Segundo o presidente, o evento não irá mais ser realizado na Avenida Presidente Vargas, no centro da capital carioca, como tradicionalmente acontece, pois neste ano será feito na Avenida Atlântica, em Copacabana. Na ocasião, Bolsonaro afirmou ainda que estará presente no ato.

“A gente vai pedir ao pessoal que botar carro de som, vai ter muita gente em Copacabana, que não use seu carro de som durante aí o desfile, que deve durar em torno de, no máximo 1h. É tropa das Forças Armadas, Marinha, Exército e Aeronáutica. Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar. Academia Militar das Agulhas Negras deve ter um efetivo de um ano desfilando. Colégio Militar. Algumas escolas civis lá do Rio de Janeiro”, afirmou Bolsonaro.

bolsonaro - 07 de setembro
Bolsonaro marcou presença em atos no 07 de Setembro do ano passado. (Foto: reprodução)

De acordo com a Rede Sustentabilidade, o presidente está se aproveitando de sua posição de “comandante supremo das Forças Armadas para alterar o local do desfile militar para o mesmo ambiente para o qual previamente convocou seus apoiadores para ato político-eleitoral”.

Para o partido, a atitude do presidente deve ser classificada como um “evidente o abuso do poder político e econômico”. No ano passado, Bolsonaro participou de dois atos no 07 de Setembro: um em Brasília e outro em São Paulo. Nos dois ele atacou ministro do Supremo Tribunal Federal e disse não confiar no sistema eleitoral brasileiro.

Por conta do argumento, Cármen Lúcia determinou que o presidente preste informações sobre sua ideia de alterar o local do desfie. Além do presidente, a ministra do STF também determinou que a Advocacia-Geral da União (AGU) e também a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestem sobre o caso. Isso, em três dias.

Leia também: Bolsonaro irá ao Jornal Nacional, da Globo; entenda

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.