Ministério estuda criação de programa para demitidos da Ford

Ministério da Economia começou a discutir tema neste semana logo depois do anúncio da Ford na segunda-feira (11)

2

O Ministério da Economia está neste momento discutindo a possibilidade da criação de um novo programa. Esse programa serviria exclusivamente para os trabalhadores que acabaram de sofrer as demissões da Ford.

Na última segunda-feira (11), a montadora anunciou que estava parando as atividades de produção de carros no Brasil depois de mais de 100 anos. A própria empresa disse que a decisão deve afetar mais de 5 mil funcionários.

E é essa a grande preocupação dos governos de todos os níveis no Brasil agora. O Ministério começou as conversas mas ainda não chegou em uma conclusão sobre o tema. Dessa forma, a ideia de criar um programa para esses trabalhadores ainda está no campo das possibilidades.

De acordo com essa ideia, os trabalhadores poderiam ganhar uma realocação para outras empresas do ramo que seguem investindo no Brasil. Assim, essas outras montadoras conseguiriam mão de obra já com qualificação e experiência.

Isso não é muito diferente do que o Governo da Bahia está pensando em fazer. Por lá, o governador Rui Costa disse que está pensando em criar um banco de dados com esses trabalhadores. O estado tinha uma das maiores fábricas da Ford no Brasil.

Trabalhadores da Ford

Nos últimos dias, empregados que trabalhavam na Ford fizeram protestos contra a empresa. Eles pediam também ações dos Governos contra essas demissões. Mas a Ford não dá nenhum indicativo de que pode voltar atrás dessa decisão final.

A montadora tinha três fábricas no Brasil. Uma na Bahia, outra em São Paulo e outra no Ceará. Apesar de tentar resolver a situação, internamente o Ministério considera que a decisão da Ford é muito ruim para a economia.

Leia Também:

2 Comentários
  1. […] Ministério estuda criação de programa para demitidos da Ford […]

  2. […] Ministério estuda criação de programa para demitidos da Ford […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.