Ministério da Saúde estuda priorizar a vacinação com uma dose

Durante sua fala, o ministro da Saúde não deu detalhes de qual seria o intervalo pretendido entre a aplicação da primeira e da segunda dose

1

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, revelou nesta segunda-feira (11) que a pasta estuda priorizar, pelo menos no começo, a vacinação com apenas uma dose da vacina do laboratório Astrazeneca em parceria com a universidade de Oxford a fim de frear a disseminação da Covid-19 no Brasil – o país comprou 210 milhões de doses do imunizante, que serão entregues até o final do ano.

Leia também: Mourão, após se curar da covid-19, diz que tomará vacina “é uma questão coletiva, não individual”

A revelação foi feita em Manaus, no Amazonas. Pazuello esteve na região para anunciar ações de combate à doença no momento em que a capital vive um colapso no sistema de saúde e funerário. O plano nacional de imunização foi um dos principais temas do discurso.

“Essas doses, que com duas doses você vai a 90 e tantos por cento [de imunização], com uma dose vai a 71%. Com 71% talvez a gente entre para imunização em massa, é uma estratégia que a Secretaria de Vigilância em Saúde vai fazer para reduzir a pandemia. Talvez o foco seja não na imunidade completa, mas sim a redução da contaminação e aí a pandemia diminui muito. Podendo aplicar a segunda dose na sequência, chegando a 90%”, afirmou.

Durante sua fala, o ministro da Saúde não deu detalhes de qual seria o intervalo pretendido entre a aplicação da primeira e da segunda dose. Vale lembrar que, de acordo com o Ministério da Saúde, em um cenário otimista, a campanha de vacinação contra a Covid-19 começará na quarta-feira (20).

Em comunicado, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que é quem cuida da vacina da Oxford no Brasil explicou que a AstraZeneca recomenda um regime de vacinação com duas doses, considerando um intervalo de 4 e 12 semanas após a primeira dose.

No entanto, o regime de doses a ser adotado no país é uma definição do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, do Ministério da Saúde.

Eficácia da vacina

Estudos divulgados por especialistas da Inglaterra revelaram que a vacina de Oxford tem uma eficácia de 70%. Isso significa que 7 a cada 10 pessoas vacinadas apenas com a primeira dose da vacina de Oxford ficam protegidas 21 dias depois.

Quando a segunda dose é aplicada, 12 semanas após a primeira, esse número sobe para 80%. As informações foram divulgadas no dia 30 de dezembro.

Leia Também:

1 comentário
  1. […] de São Paulo negou o pedido de suspensão das provas, mesmo em um período em que os casos de Covid-19 no país voltam a […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.