Minas Gerais tem mais de 400 municípios em situação de emergência pelas chuvas

O governo de Minas Gerais afirma que serão destinados R$ 603 milhões em recursos estaduais para ajudar as cidades atingidas pela chuva

0

Números divulgados pela Defesa Civil na noite de sábado (22) revelam que 47% dos 853 municípios de Minas Gerais, isto é, 402, encontram-se hoje em situação de emergência. O motivo: as fortes chuvas que atingem a região nas últimas semanas.

Segundo os números da entidade, o estado de Minas tem hoje 48.607 pessoas desalojadas, ou seja, indivíduos que estão abrigados em casas de parentes ou amigos, e também 7.735 desabrigados – neste caso, os afetados foram encaminhados a abrigos públicos.

Mortes em Minas Gerais

Não suficiente, a Defesa Civil mineira informou que, desde que as chuvas começaram a afetar o estado, isso no final de outubro do ano passado, foram 25 mortes, sendo a cidade de Brumadinho a líder dessa triste estatística, com cinco relatos de pessoas mortas devido às chuvas.

Atrás de Brumadinho, as cidades que mais registraram mortes foram Caratinga e Perdigão – cada uma registrou duas mortes. Já os municípios a seguir registraram somente um óbito devido ao alto nível de água que caiu na região nos últimos tempos:

Belo Horizonte, Betim, Claro dos Poções, Contagem, Coronel Fabriciano, Dores de Guanhães, Engenheiro Caldas, Ervália, Montes Claros, Nova Serrana, Ouro Preto, Pescador, Santana do Riacho, São Gonçalo do Rio Abaixo, Uberaba.

Ajuda às cidades

De acordo com o governo de Minas Gerais, serão destinados R$ 603 milhões “em recursos estaduais para medidas imediatas ou de rápida implementação” para ajudar as cidades atingidas pela chuva. Segundo a administração do estado, esses recursos foram disponibilizados após conversas entre o governo e as prefeituras dos locais atingidos pela chuva.

Além de explicar que os recursos serão destinados às prefeituras através de financiamento do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), o governo também detalhou que o montante será dividido em duas partes.

A primeira parte será destinada para o pagamento de um auxílio emergencial de três parcelas de R$ 400 aos desabrigados e desalojados e a segunda para a construção ou reconstrução de moradias populares em locais afetados pela chuva.

Leia também: Governo da Bahia afirma que União anunciou ‘recursos velhos’ às cidades afetadas pela chuva

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.