Milhões começam a perder auxílio emergencial nos Estados Unidos

Validade para uma série de propostas começa a acabar e os trabalhadores começam a perder os seus benefícios nos Estados Unidos

2

O final de ano costuma trazer sempre um sentimento de paz e esperança, certo? Não se você estiver falando dos Estados Unidos. Por lá, o final de 2020 está cheio de polêmica. E há um motivo para isso: o auxílio emergencial.

Acontece que este sábado (26) marcou uma data limite para uma série de benefícios que os trabalhadores estavam recebendo. As pessoas que recebem seguro-desemprego, por exemplo, perderam a ajuda de 300 dólares semanais.

Isso porque o prazo para esse benefício foi justamente este sábado (26). Seja como for, não parou por aí. A lei que impede que donos de imóveis despejem inquilinos por falta de pagamento de aluguel vai acabar no próximo dia 31.

E a perspectiva para esses trabalhadores não é muito boa. Explica-se: O Congresso do país acabou de aprovar um pacote de ajuda na pandemia no valor de 900 bilhões de dólares. Esse projeto permitiria que o governo enviasse cheques de 600 dólares para pessoas de baixa e média renda. Um auxílio.

Além disso, esse mesmo projeto também direciona 1,4 trilhão de dólares para o Governo Federal. É um dinheiro que o Governo precisa para seguir funcionando. A aprovação no Congresso não impediu que Trump dissesse que não quer assinar o projeto.

Auxílio nos Estados Unidos

Por meio de um vídeo Trump disse que seria “uma desgraça” o fato de que os norte-americanos iriam ganhar 600 dólares. Ele quer subir esse valor para 2000 dólares. Era justamente portanto o que os democratas, membros da oposição à Trump, queriam.

Em tese, o Congresso pode derrubar o veto de Trump sobre o auxílio, mas não pode obrigar que ele assine. Dessa forma, se nada acontecer até o dia 4 de janeiro, o Governo pode simplesmente parar de funcionar e não ter dinheiro para pagar sequer aos seus servidores.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.