Mianmar tem o dia mais sangrento de protestos anti-golpe

2

Pelo menos 18 pessoas morreram e 30 ficaram feridas em Mianmar na repressão mais violenta já realizada pelas forças de segurança a manifestantes que protestam contra o golpe militar. As informações são do escritório de direitos humanos da Organização das Nações Unidas.

“Ao longo do dia, em vários locais do país, policiais e militares enfrentaram manifestações pacíficas, utilizando força letal”, conforme o escritório da ONU neste domingo (28). A polícia abriu fogo em diferentes partes de Yangon, a maior cidade birmanesa. A ação começou depois que granadas de choque, gás lacrimogêneo e tiros para o ar não conseguiram dispersar as multidões.

Nas redes sociais, multiplicaram-se fotos e vídeos de feridos pela repressão militar. “Mianmar é como um campo de batalha”, escreveu no Twitter o primeiro cardeal católico da nação de maioria budista, Charles Maung Bo.

A ação policial deste domingo ocorreu depois que a televisão estatal anunciou a demissão do enviado de Mianmar às Nações Unidas, Kyaw Moe Tun. Os militares acusam o diplomata de traição por ter instado a ONU a usar “todos os meios necessários” para reverter o golpe de 1º de fevereiro que retirou do poder a líder eleita Aung San Suu Kyi.

Golpe militar em Mianmar

A tomada de poder pelos militares e a prisão de Suu Kyi mergulharam Mianmar em um novo caos. Isso apenas uma década após o fim de quase 50 anos de regime militar. Há três semanas, multidões saíram às ruas de cidades e vilas em Mianmar, pedindo a restauração do governo civil. Além disso, eles querem a libertação de Aung San Suu Kyi.

À medida que os protestos populares ganham força, as forças de segurança se tornaram mais agressivas no uso da força. Três outros manifestantes foram mortos no início de fevereiro, enquanto os militares disseram que um policial também foi morto.

Leia Também:

2 Comentários
  1. […] Mianmar tem o dia mais sangrento de protestos anti-golpe […]

  2. […] Mianmar tem o dia mais sangrento de protestos anti-golpe […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.