Médicos usam remédio contra artrite para tratar casos graves de Covid-19

A droga foi implantada após resultados preliminares mostrarem que ela reduz o tempo de internação em UTI e ajuda a evitar mortes

1

Médicos do Reino Unido estão usando um medicamento recomendado para artrite no tratamento de casos graves de Covid-19. A droga foi implantada nesta sexta-feira (08) após resultados preliminares mostrarem que ela reduz o tempo de internação em UTI e ajuda a evitar mortes.

Leia também: STF decide que União não pode requisitar agulhas e seringas já compradas por SP

De acordo com as informações, a tocilizumabe já está disponível nos hospitais e foi adicionada à lista de restrições de exportação do governo. Dessa forma, empresas estão proibidas de comprar medicamentos destinados a pacientes do Reino Unido e vendê-los por um preço mais alto em outro país.

Segundo um estudo publicado pelo projeto britânico Remap-Cap, além do tocilizumabe, outra droga usada em casos de artrite, o sarilumab, teve resultados positivos. Para a análise de eficácia, os cientistas acompanharam 800 doentes graves de Covid-19 em hospitais do sistema de saúde público do Reino Unido, a partir de março de 2020 e os resultados foram animadores.

De acordo com a Remap-Cap, as drogas reduziram em 24% o risco de morte, quando usadas 24 horas após a internação em UTI. De acordo com o diretor de bioestatística da Premier Research, Adam Jacobs, em entrevista à “BBC”, os resultados ainda não foram revisados e, por isso, devem ser vistos com cautela. Apesar desse limite, de acordo com ele, o trabalho tem “qualidade muito superior a muitos artigos não revisados por pares”.

Médicos usam remédio contra artrite para tratar casos graves de Covid-19
De acordo com a Remap-Cap, as drogas reduziram em 24% o risco de morte, quando usadas 24 horas após a internação em UTI. (Foto: reprodução)

Covid-19 no Reino Unido 

Para o líder do programa de aceleração terapêutica de Covid-19 da Wellcome, Nick Cammack, ainda à “BBC”, à medida que as hospitalizações e mortes causadas pela Covid-19 disparam no Reino Unido e as novas mutações tornam a pandemia mais desafiadora, “encontrar tratamentos eficazes é mais urgente do que nunca”.

Hoje, com mais de 78 mil mortes por Covid-19, o Reino Unido é o país com maior número absoluto de mortes na Europa desde o começo da pandemia, e suas quatro nações —Inglaterra, Escócia, Gales e Irlanda do Norte— decretaram confinamento para conter contágios acelerados.

Leia Também:

1 comentário
  1. […] projeto em tramitação na Câmara dos Deputados quer incentivar a doação de remédios para a rede pública e para instituições sociais. A ideia é que em troca, laboratórios tenham […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.