Marido mata esposa durante festa da família e se suicida na sequência

Eliane Ferreira Siolim, de 34 anos, foi atingida por 17 tiros disparados pelo empresário Alejandro Antônio Aguillera, de 41 anos, que se suicidou em seguida

0

O estado do Mato Grosso do Sul registrou mais um caso de feminicídio. Desta vez, uma mulher foi morta a tiros pelo marido durante um churrasco de família em Ponta Porã, interior do estado, na última segunda-feira (25). De acordo com as informações, Eliane Ferreira Siolim, de 34 anos, foi atingida por 17 tiros disparados pelo empresário Alejandro Antônio Aguillera, de 41 anos, que se suicidou em seguida.

Leia também: Polícia apreende R$ 473 mil na casa de Nego do Borel

Segundo a Polícia Civil, Eliane e o marido estavam em um sítio na zona rural da cidade para uma confraternização. Em determinado momento, o casal foi a uma varanda nos fundos da casa e começou a discutir.

Eliane Ferreira Siolim, de 34 anos, foi atingida por 17 tiros disparados pelo empresário Alejandro Antônio Aguillera, de 41 anos, que se suicidou em seguida. (Foto: reprodução)

 

Instantes depois, Alejandro sacou uma pistola, fez os disparos e se matou. Segundo a polícia, ainda não se não é possível apontar, de fato, o que motivou o crime.

Em entrevista ao portal “Uol”, testemunhas que estavam no local no momento do crime revelaram que o casal, que estava junto havia 12 anos, não costumava brigar, mesmo tendo muito ciúmes um do outro.

Mulher era ativa nas redes sociais

Eliane tinha um perfil em uma rede social onde fazia vídeos de dublagem e possuía cerca de 60 mil seguidores. O casal deixa uma filha de 6 anos que também estava na festa.

Eliane tinha um perfil em uma rede social onde fazia vídeos de dublagem e possuía cerca de 60 mil seguidores. (Foto: reprodução)
Eliane tinha um perfil em uma rede social onde fazia vídeos de dublagem e possuía cerca de 60 mil seguidores. (Foto: reprodução)

 

O depoimento da filha ainda não foi tomado porque, por ela ser menor de idade, o procedimento precisa ser acompanhado de uma psicóloga especializada, além de outras medidas de proteção. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Atendimento à Mulher de Ponta Porã.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.