Manifestantes protestam contra proposta de segurança pública na França

Milhares de manifestantes ignoraram os pedidos de distanciamento social para protestar contra polêmica proposta de segurança pública

3

Centenas de milhares de manifestantes estão saindo às ruas nos últimos dias na França. O motivo: eles são contra uma proposta de lei de segurança pública. Entre outras coisas, essa lei criminaliza pessoas que compartilham fotos e vídeos de policiais.

De acordo com a lei, as pessoas não poderiam mais compartilhar essas imagens se o objetivo delas for “prejudicar a integridade física ou psicológica dos agentes”. Dessa forma, dá para entender porque a proposta é polêmica.

A Anistia Internacional se posicionou sobre a proposta. De acordo com a ONG internacional, a ideia é uma “afronta aos valores de liberdade da França”. Além disso, a organização Repórteres Sem Fronteiras disse que a proposta seria uma maneira de “diminuir a liberdade de imprensa”.

Esse é um ponto de muita discussão nesta questão. É que críticos afirmam que até jornais pensariam duas vezes antes de publicar um vídeo em suas plataformas. Assim, eles afirmam que o projeto não é bom.

Seja como for, os deputados que apresentaram a proposta afirmam que a ideia é apenas ajudar esses agentes. Eles afirmam que existe uma cultura de cancelamento que “acaba com a vida das pessoas” ao redor do mundo.

Segurança Pública

O fato é que este debate está acontecendo justamente em um momento em que a publicação de alguns desses vídeos está causando revoltas gigantescas ao redor do mundo. Nem é preciso entrar em detalhes do protesto pela morte de George Floyd, no Estados Unidos. Por lá, tudo começou com a divulgação de um vídeo.

No Brasil, a situação não é muito diferente. A morte de João Alberto na frente de uma loja da rede Carrefour, em Porto Alegre, acabou gerando revolta após a publicação de um vídeo nas redes sociais. Por isso, o projeto francês já nasceu cheio de polêmica.

Leia Também:

3 Comentários
  1. Irton Marx/Santa Cruz do Sul - RS. Diz

    O caso surgido no Carrefour em Porto Alegre nada teve a ver com racismos ou algo que refira a uma situação discriminadora. Foi, sim, uma ação isolada envolvendo seguranças do estabelecimento que agiram de forma precipitada contra um cidadão negro que resultou em homicídio. O fato está claro, nada que envolvesse racismo contra o dito senhor assassinado e nada contra a rede supermercadista Carrefour. Nos Estados Unidos são casos diferentes. Na França, em outros lugares existem situações racistas. Se no Brasil a maioria da população é negra ou mestiça, as mortes dos negros em ações policiais ou em outros casos acontecem por conta dos próprios negros e mestiços que se matam entre si. Não é possível jogar a culpa no povo branco e nem culpar os brancos de hoje por causa do escravagismo do passado. Irton Marx

  2. […] Leia também: Manifestantes protestam contra proposta de segurança pública na França […]

  3. […] anúncio vem portanto em um momento de muita turbulência política por lá. Isso porque uma série de vídeos de supostos atos de violência policial acabou gerando revolta em […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.