Luma de Oliveira admite traições em relacionamentos: “Várias vezes”

Ex-modelo diz se arrepender de infidelidade nas relações da juventude.

0
Luma de Oliveira admite
Reprodução: Instagram

A ex-modelo Luma de Oliveira admite que já traiu seus namorados quando era nova, mas garante ter sido fiel quando subiu ao altar com Eike Batista, com quem ficou casada por 13 anos.

Luma de Oliveira admite traições no passado

Em entrevista à Veja, a ex-modelo admite que não foi leal em todos de seus relacionamentos quando mais nova. No entanto, afirma que nunca traiu Eike, destacando que foi “100% fiel” naquela época. “Traí sim, e várias vezes, na minha juventude. Mas não tenho orgulho disso. Eu era imatura, impulsiva. Não fui fiel e, quando traída, me senti diminuída”, confessa.. Luma não assume um relacionamento sério há tempos e explica o motivo disso: “Hoje prefiro namoros curtos e intensos”, declara, por fim.

Luma já viveu relacionamentos com o ex-jogador e atual técnico Renato Gaúcho, além de ter namorado Antenor Mayrink Veiga, filho da socialite Carmen Mayrink Veiga, e teve um breve namoro com o ex-delegado Fernando Moraes.

Veja também: Vanessa Giácomo se surpreende com fanfic no Twitter

Adoção de onça

Amante dos animais, a ex-modelo inaugurou uma área em Goiás do tamanho de um estádio de futebol, para abrigar uma onça que adotou há cerca de três anos. O animal, batizado de Coragem, foi resgatado de uma fazenda ainda bebê, com fome e desidratado. Agora, ele vive em uma área de mata feita especialmente para ele. O local fica dentro do Instituto Onça-Pintada, que tem Leandro Silveira como fundador. “Coragem agora mora no maior recinto do país construído para uma onça. Muitas árvores, açude para nadar, muita área verde para correr e, assim, poder preservar ao máximo sua natureza selvagem. Esse recinto está dentro do Instituto Onça-Pintada, onde ela já morava há quase 2 anos”, detalhou Luma, em uma publicação feita em novembro de 2021.

Ademais, Luma conta de onde surgiu seu amor e cuidado por onças: “A história da Coragem me comoveu e por isso me prontifiquei a  ajudá-la. De lá pra cá aprendi mais sobre a importância da espécie. Gostar e apreciar não basta. Nós como sociedade, também podemos ajudar, cuidar e proteger para que não entre em extinção”.

Veja também: Advogada de Deolane Bezerra pede correção de boletim de ocorrência

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.