Lula critica Anvisa por não fazer “o que o Estado precisa que seja feito”

Lula disse que os diretores das agências estão tomando decisões pessoas. Isso, devido à interferência de “grupos com interesses econômicos”

0

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ex-presidente da República, disparou contra a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e agências reguladoras nesta sexta-feira (05). De acordo com o petista, essas entidades não se mantêm “articuladas” com as políticas públicas do governo federal.

A declaração de Lula foi feita durante um ato em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), em São Paulo. Na ocasião, o ex-presidente disse que os diretores das agências estão tomando decisões pessoas. Isso, devido à interferência de “grupos com interesses econômicos”.

“Nós estamos vendo o que está acontecendo com a Anvisa agora. As pessoas não querem fazer efetivamente o que o Estado precisa que seja feito, muita das vezes é uma decisão pessoal de grupos com interesses econômicos e nós vamos primar contra isso porque a saúde vai ser pública de verdade”, disse Lula.

Em outro momento, o candidato à presidência afirmou que, em sua gestão, fortaleceu o “papel regulador do Estado, imprimindo à Anvisa as autonomias necessárias”. De acordo com Lula, à época, essa autonomia era “articulada com políticas do Ministério da Saúde”.

Lula procura político experiente para gerir a política econômica do país
Lula disse que os diretores das agências estão tomando decisões pessoas. Isso, devido à interferência de “grupos com interesses econômicos”. (Foto: reprodução)

Na visão do ex-presidente, isso acabava aumentando a transparência das decisões e permitia “mais segurança à população e aos órgãos regulados”.  Ainda conforme Lula, hoje, os servidores pensam que “mandam mais do que o governo”.

Segundo ele, muitas vezes, agendas são criadas com o intuito de facilitar, mas integrantes dessas entidades acabam dificultando os trabalhos. “Vem um cidadão, toma possa na agência e acha que manda mais que o ministro, que o governo”, disse Lula, que relembrou um caso ocorrido durante o seu governo.

“Eu lembro de um caso em que indiquei um companheiro sindicalista, amigo meu, para trabalhar na agência de telecomunicações. Passaram uns oito meses, teve um problema e eles recusaram uma proposta do ministro das comunicações”, começou Lula.

“Eu chamei o cara, meu amigo da agência. E sabe o que ele falou para mim? ‘O presidente, foi o senhor que me indicou, mas você tem que saber que a agência tem autonomia e não vai cumprir a decisão’”, relembrou o ex-presidente, que hoje lidera as pesquisas de intenções de votos, estando 18 pontos percentuais na frente do segundo colocado, o presidente Jair Bolsonaro (PL).

De acordo com o petista, por conta da negativa, ele precisou acionar a Advocacia-Geral da União (AGU) para resolver o impasse. “Agora, você imagina: eu tive que chamar a AGU para fazer um parecer para colocar aquele rapaz no seu lugar e dizer para ele que as decisões de políticas públicas são do governo, ele só tem que regular. Quem faz a lei é o governo”, disse Lula.

Segundo uma publicação do site do canal “CNN Brasil”, a Anvisa foi questionada sobre as declarações feitas nesta sexta-feira por Lula, mas afirmou que não irá se pronunciar sobre o caso.

Leia também: Gilberto Kassab vê aumentar as chances de Lula ganhar no 1º turno

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.