Líder do governo diz que não há como manter Auxílio Emergencial em 600 reais

De acordo com Chico Rodrigues, o Governo Federal já atingiu um teto. Assim, não há como manter negociações sobre aumento do valor

3

O Governo Federal não pode pagar mais do que 300 reais no Auxílio Emergencial neste final de ano. Pelo menos foi o que garantiu o senador Chico Rodrigues, do Democratas de Roraima. Ele é vice-líder do Governo no Senado.

Ele falou isso justamente em um momento em que parlamentares da oposição pedem para que o Auxílio Emergencial seja mantido em 600 reais. Mas o governo decidiu que entre os meses de setembro e dezembro esse valor será de 300 reais. Ou seja, a metade.

O senador Chico Rodrigues falou sobre isso em uma entrevista para o site oficial do Senado Federal. “Toda a população sabe que o Governo fez o possível para ajudar as pessoas nesta pandemia do novo coronavírus”, disse o senador.

Ele disse ainda que o governo já atingiu um teto. “Mas o presidente Jair Bolsonaro perguntou aos nomes da economia qual seria o teto de gastos para que o Auxílio não atrapalhasse as contas públicas do governo. Esse teto é de 300 reais”, seguiu o senador.

Essa não é a opinião de parlamentares da oposição. A maioria deles participou de uma campanha online contra a redução do Auxílio. Seja como for, essa diminuição de valor vai passar por uma votação no Congresso. É portanto a votação da Medida Provisória 1000/2020.

Auxílio Emergencial

Ainda nesta terça-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro deu a entender que o Renda Brasil não vai mais existir. “Continua o Bolsa”. Assim, a tendência é que quando o Auxílio Emergencial acabar em dezembro o país fique só com o Bolsa Família.

A média de pagamento individual da Bolsa Família é de 150 reais. Ou seja, um valor ainda mais baixo. Dessa forma, algumas pessoas que estavam recebendo 600 reais, passarão para 300 reais e depois para 150 reais (em média).

3 Comentários
  1. Maria Diz

    Isso é falta de respeito com a população brasileira que está precisando do auxílio emergencial para por comida na mesa de familia. É tantos desvios de dinheiro bublico e o povo brasileiro mais pobres que sofrem. Os preços dos alimentos estão muito caro isso é absurdo,enquanto o preço dos produtos subiram o auxílio emergencial diminuiu. Sacanagem com a população que ressuscita desse auxílio.

  2. também Diz

    E só nos também cruazar os braços . Assim como eles cruzaram para não votar a favor do auxílio . Nós também não vamos às urnas votar para esse ladrões . Se eles não quiserao nos ajudar não vamos ajudar eles também fica a dica …….

  3. Marly Diz

    Só os salários dos políticos que não diminui o valor!!!
    Os políticos recebem roupas, carros com combustível, auxílio moradia, auxílio saúde sem discriminação de valor ( tem total regalias na saúde), eles recebem auxílio de tudo!!!! Esquecem que nós a população que paga essas mordomias e não temos direito a nada!!!
    Querem diminui o pouco que recebemos, acho que não devemos sair para votar, juntos somos fortes!!!!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.