Lançamentos imobiliários crescerão 24% em 2021, diz Brain

1

Apesar da possível diminuição do PIB e a alta da inflação, o Brasil deve passar por uma supervalorização dos cenários imobiliários que crescerão cerca de 23%: a casa própria – ou então reconstruir a vida morando de aluguel em outro lugar – está se tornando o sonho de consumo de muita gente. 

A pesquisa foi realizada pela consultoria  Brain Inteligência Estratégica e entrevistaram 338 incorporadoras. De acordo com eles, os juros que ainda estão baixos (2,75% da Selic) e a disponibilidade de crédito dos bancos podem influenciar de forma positiva. “Acredito que as vendas poderão aumentar de 10% a 15%”, diz.

No caso dos financiamentos, muita gente que estava de olho no mercado está pensando em começar o mais cedo possível já que, segundo o Banco Central, a taxa de juros Selic deve sair de 2,75% para os seus 5,15%. somente na próxima reunião, já devem realizar um novo reajuste de 3,5%. 

Em suma, 29% das empresas argumentaram que esse ano está sendo melhor que 2020, independente das compras e dos aluguéis. Um dos motivos é a alta procura.

Aluguéis imobiliários são caros e inacessíveis

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto é parecido com o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, entretanto voltado para a área urbana. De acordo com eles, toda a população deveria ter acesso a casas e com preços acessíveis, o que não ocorre na maioria das cidades que são capitais. 

De acordo com o estudante de Banco de Dados, Tiago Fagundes, de Brusque, em Santa Catarina, uma simples kitnet com pouco espaço chega a custar quase R$ 900. Um apartamento menor, sem incluir o condomínio, ultrapassa a faixa de R$ 1000. 

Há um movimento dos MTST para que os preços se tornem ainda mais acessíveis e consigam, portanto, abranger ainda mais os jovens e estudantes já que, no caso de universidades particulares, torna-se difícil realizar todos os pagamentos sem a ajuda dos pais. 

Os itens para construir uma casa estão mais caros devido a inflação, alguns como barras de ferro e cimento, tiveram o crescimento de 100% ou mais no valor. 

Leia mais: Argentina descarta novo lockdown para conter avanço da Covid-19

Leia Também:

1 comentário
  1. […] Leia mais: Lançamentos imobiliários crescerão 24% em 2021, diz Brain […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.