Juiz humilha mãe em audiência e diz: ‘se não tem como cuidar, então dá para adoção’

“Ganha 1300 e quis ter 2 filhos?”. “Se não tem como cuidar, então dá para adoção, põe num abrigo”, disse o juiz

2

O juiz Rodrigo de Azevedo Costa, da Vara da Família da Freguesia do Ó, em São Paulo, voltou a polemizar. Desta vez, um vídeo de uma audiência realizada no último dia 10 de dezembro mostra o magistrado rebaixando uma mãe e colocando sua capacidade de cuidar das filhas em cheque.

Leia também: PF apura suposta venda de vacina para Covid-19

No caso em questão, o juiz humilha uma auxiliar de enfermagem que buscava regulamentar as visitas do ex-marido às duas filhas pequenas. Isso porque, durante a pandemia da Covid-19, para poder trabalhar, a mulher pedia uma maior participação do pai das meninas, já que as crianças não estavam indo para a creche.

Durante a audiência, o juiz aconselha a mulher a doar seus filhos e também fala sobre o baixo salário da moça. “Ganha 1300 e quis ter 2 filhos?”. “Se não tem como cuidar, então dá para adoção, põe num abrigo”, opina.

Além da deselegante e humilhante declaração, o juiz também comenta sobre o ex-marido da auxiliar de enfermagem. “Se ele é mau pai, eu não tenho culpa. Eu vou fazer o que? Vou pegar este negão e encher ele de tapa? Não é meu trabalho este.”

Juiz é reincidente em polêmicas

Alguns podem até pensar que a fala do juiz foi em um momento ímpar e que ele não costuma proferir frases polêmicas. Todavia, essa realidade está longe de ser a verdade. Recentemente, o magistrado também viralizou nas redes sociais ao participar de uma audiência de conciliação.

À época, uma mulher buscava regulamentar partilha de bens. Durante a reunião, o juiz começa a interromper e atacar a mulher, pois, segundo ele, não estava entendendo as suas declarações. Isso porque a mulher relatou que, na separação, o ex-marido havia ficado com o bônus e ela com o ônus – referindo-se às despesas com os filhos, as dívidas.

“Aí, mãe, não posso fazer nada […] Eu não tô nem aí se ficou como ônus, ficou com os filhos. Eu não tô nem aí se ele não visita”, disse. Por fim, o juiz também ficou famoso após dizer, em outra audiência, que não estava nem aí para a Lei Maria da Penha e que “ninguém agride ninguém de graça”.

TJ investiga a conduta do magistrado

No dia 18 de dezembro, após o magistrado se envolver na primeira polêmica, a Corregedoria Geral do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo anunciou o início de uma apuração acerca da conduta do juiz. Atualmente, segundo o TJ, o salário bruto dele é de R$32.004,65.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

2 Comentários
  1. Rodolfo Molla Neto Diz

    O JUIZ ESTA CERTO!
    A LEI MARIA DA PENHA É INCONSTITUCIONAL, SEXISTA RADICAL E INJUSTA.
    CAUSA PROBLEMAS PROFUNDOS NA SOCIEDADE COM A DESTRUIÇÃO FAMILIAR.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.