IPCA-15 sobe 1,06% em dezembro, maior variação desde junho de 2018, diz IBGE

O indicador é a prévia da inflação oficial do Brasil

2

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) registrou alta de 1,06% em dezembro deste ano, na comparação com novembro. O valor ficou 0,25 ponto percentual (p.p.) acima da variação apresentada no mês anterior (0,81%). A saber, a elevação mensal é a maior desde junho de 2018, quando o IPCA-15 subiu 1,11%. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo levantamento, divulgou as informações nesta terça-feira, dia 22. 

Em resumo, o IPCA-15 é a prévia da inflação oficial do Brasil. Em 2020, o índice acumula alta de 4,23%. Já no último trimestre deste ano, a elevação chegou a 2,84%. Além disso, o IPCA-15 em dezembro de 2019 apresentou uma variação bem parecida, de 1,05%. 

 

Alimentos e bebidas puxam o IPCA-15 para cima 

De acordo com o IBGE, o aumento neste mês é reflexo da alta registrada em todos os grupos de produtos e serviços pesquisados, exceto vestuário (-0,44%). Aliás, o destaque ficou, novamente, com alimentação e bebida (2,00%), que impactou o IPCA-15 com 0,42 p.p. no mês. A saber, o acumulado do grupo no ano chega a expressivos 14,36% de aumento. Ao mesmo tempo, outro grupo que exerceu grande influência foi o dos transportes, com 0,29 p.p, cuja taxa passou de 1,00% para 1,43%. Fechando o top três de impactos no IPCA-15, ficou o grupo habitação, que subiu 1,50% e influenciou o indicador em 0,23 p.p.

Na sequência vieram: artigos de residência (1,40% para 1,35%) e despesas pessoais (0,14% para 0,39%). Estas despesas provocaram impacto de 0,05 p.p. e 0,4 p.p. no IPCA-15 em dezembro, respectivamente. Os grupos comunicação (0,06% para 0,46%) e educação (0,01% para 0,34%) exerceram os respectivos impactos: 0,03 p.p. e 0,02 p.p. Já as despesas com saúde e cuidados pessoais (0,04% para 0,03%) não influenciaram o resultado do IPCA-15.

Por outro lado, o grupo vestuário (0,96% para -0,44%), foi o único a impactar negativamente o resultado do indicador no mês (-0,02 p.p.).

 

Pesquisa foi realizada de novembro a dezembro 

Em suma, os preços foram coletados do dia 13 de novembro a 11 de dezembro de 2020 e comparados aos registrados anteriormente, no período de 14 de outubro a 12 de novembro. Para a divulgação do índice do IPCA-15, houve a coleta dos dados nas regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Brasília, Goiânia, Recife, Salvador, Fortaleza e Belém. O indicador se refere às famílias que possuam rendimentos de um a 40 salários mínimos. 

 

LEIA MAIS

Confiança do consumidor recua pelo terceiro mês seguido

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.