Intenção de compra de veículos é mantida apesar da crise

De acordo com pesquisa realizada pela Anfavea e a Webmotors, 89% dos consumidores mantém intenção de compra de veículos em 2020

0
Intenção de compra de veículos é mantida por consumidores

Apesar da crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus, consumidores mantém intenção de compra de veículos em 2020. É o que mostra uma pesquisa realizada pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) em parceria com a Webmotors, plataforma de negociação de veículos.

O levantamento mostrou que 89% dos consumidores não desistiram da intenção de comprar um novo veículo, mesmo com as dificuldades trazidas pela crise.

O estudo foi feito a partir dos usuários que acessam a plataforma Webmotors, que conta com 12 milhões de usuários únicos por mês. De acordo com a empresa, a amostra é de 1,6 mil desses usuários, a maioria homens (92%), com maior representação no Sudeste (65%), além de uma participação expressiva da Região Sul (16%).

Intenção de compra de veículos

O levantamento mostrou que os que consumidores que mantém intenção de compra de veículos em 2020, 68% vão optar por um veículo usado. Por outro lado, 16% querem um novo e 16% estão em dúvida entre um novo e um de segunda mão.

A venda de carros pode ser impulsionada, também, devido a proteção individual durante a pandemia. Entre os entrevistados que pretendem comprar um carro, 66% disseram querer evitar o transporte público depois do fim da quarentena.

Contudo, entre os que pretendem comprar, 27% vão adiar a aquisição para os próximos seis meses, principalmente por conta da incerteza financeira. E cerca de 33% querem melhores condições de pagamento. Dessa forma, 46% disseram que seriam estimulados se o carro usado que possuem fosse mais valorizado na próxima aquisição. E 42% gostariam de uma redução nos impostos, assim como 39% desejam juros menores.

Mas ainda há aqueles que não tem mais a intenção de comprar um veículo neste ano. E o principal motivo para a decisão foi justamente a incerteza financeira, relatado por 57% dos entrevistados.

Do mesmo modo, pesaram também as condições de pagamento, para 34%. Além do fato de o possível comprador conseguir vender o veículo que possui atualmente, para 18%.

Estudo mostrou vendas em queda

De acordo com a Anfavea, as vendas de veículos em junho ficaram em cerca de metade da média antes da pandemia. Em maio, as vendas de veículos tinham registrado queda de 74,7% em relação ao mesmo mês de 2019, com a comercialização de 62,2 mil unidades.

Nesse ínterim, a estimativa da Anfavea é de uma retração de aproximadamente 40% no mercado neste ano. E, se essa previsão se confirmar, devem ser vendidos em 2020 cerca de 1,67 milhão de unidades, contra 2,78 milhões vendidas ao longo do ano passado. O número seria equivalente ao comercializado no ano de 2004.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.