Indicador de Emprego da FGV sobe em maio e volta ao patamar de janeiro

Apesar do avanço, indicador continua abaixo do nível registrado em fevereiro de 2020, último mês antes da decretação da pandemia da Covid-19

0

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) subiu 4,7 pontos em maio deste ano, na comparação com o mês anterior. Essa é a segunda alta seguida e mostra que o ritmo do indicador está mais forte. Aliás, com o resultado, o índice subiu para 83,4 pontos.

A saber, o indicador retornou ao patamar observado em janeiro deste ano (83,5 pontos). Em resumo, o IAEmp caiu em janeiro (-2,2 pontos), fevereiro (-0,6 ponto) e março (-5,8 pontos), mas subiu em abril (1,6 ponto). Assim, encerrou o trimestre móvel com leve alta de 0,1 ponto, após quatro meses seguidos de queda. A propósito, a Fundação Getúlio Vargas (FGV), responsável pela pesquisa, divulgou os dados nesta sexta-feira (11).

“A recuperação dos últimos dois meses deixa o indicador no mesmo patamar do início do ano. A melhora nas expectativas para o mercado de trabalho tem sido influenciada pela flexibilização das medidas restritivas e do avanço do programa de vacinação”, explicou o economista da FGV, Rodolpho Tobler. 

Ainda segundo Tobler, os próximos meses devem seguir com esse cenário de continuidade da retomada econômica. No entanto, ele ressaltou que ainda há “alguns riscos”, em especial o de novas ondas de infecções e mortes provocadas pela pandemia da Covid-19.

Maioria dos componentes do indicador sobem em maio

De acordo com os dados, seis dos sete componentes do IAEmp subiram em maio, puxando-o para cima. O destaque do mês ficou com o indicador de situação atual dos serviços, cujo avanço chegou a 2,2 pontos, ou 47%, para a alta do indicador agregado. Aliás, o único indicador que caiu em maio foi o de tendência de negócios da indústria.

Por fim, o Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) se baseia em dados das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor. Em suma, ele pode antecipar as direções tomadas pelo mercado de trabalho no Brasil, possuindo relação positiva com o nível de emprego do país. 

Leia Mais: Volume de serviços cresce levemente em abril, aponta IBGE

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.