Inadimplência no ensino superior em maio sobe 51,7%

O aumento na inadimplência no pagamento das mensalidades do ensino superior havia subido também no mês de abril.

0

O Semesp (Sindicato das Entidades Mantenedoras de Ensino Superior) divulgou nesta segunda-feira, 29 de junho, nova pesquisa sobre a inadimplência em cursos de ensino superior durante a pandemia do novo coronavírus. De acordo com a pesquisa, a inadimplência no pagamento das mensalidades subiu 51,7% no mês de maio.

A pesquisa Cenário Econômico Atual das Instituições de Ensino Superior Privadas já havia apontado um crescimento de 72,4% na inadimplência no mês de abril. Atualmente, o índice passou de 15,8% para 23,9% do total de estudantes no período.

O aumento na inadimplência se destaca em especial nos cursos presenciais, os mais afetados pela pandemia. Dessa forma, quando comparado a maio de 2019, o índice subiu de 14,8% para 23%. No caso dos cursos a distância, o aumento foi menor, de 19,6% para 21,3%.

Evasões também subiram

Os índices de evasão também estão crescendo em uma constante. No mês de maio de 2020 houve um aumento de 14,2%, quando comparado a abril deste ano. Logo, o índice de evasões em 2020 subiu 3,6%, contra 3,2% do mesmo período em 2019.

Segundo o Semesp, essas evasões seriam especialmente dos alunos que iniciaram seus cursos recentemente. Pois, aqueles que já estão nos anos finais estariam evitando trancar o curso e perder o investimento que foi feito até aquele momento. Em contrapartida, aqueles que iniciaram o curso a pouco tempo, preocupados em especial com a atual situação econômica do país, acabam optando por adiar o curso.

Além disso, a captação de novos estudantes para o segundo semestre de 2020 deve ser muito menor do que o habitual. As preocupações econômicas dos jovens e o cenário de incertezas estariam fazendo com que muitos candidatos adiassem o sonho de entrar na faculdade. Como resultado, as pesquisas por cursos superiores no Google, termômetro utilizado pelo Semesp, teriam caído 70% em relação ao mesmo período do ano passado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.