Ibovespa sobe 0,70% nesta terça (22), deixando um pouco do receio de ontem pra trás

Cientistas garantem que vacinas são eficazes contra nova mutação do coronavírus

1

O Ibovespa encerrou a sessão desta segunda-feira, dia 22, com alta de 0,70%. Isso reflete a diminuição do receio provocado ontem (21) nas bolsas ao redor do mundo, que terminaram o dia com forte queda. Hoje, o principal índice acionário da bolsa brasileira chegou aos 116.636,18 pontos.

Em resumo, a declaração do Reino Unido sobre uma nova variante mais contagiosa do coronavírus figurou como o principal vetor das bolsas na última segunda. A saber, a nova mutação da Covid-19, a “VUI – 202012/01”, está se disseminando em algumas partes da Inglaterra. De acordo com autoridades britânicas de saúde, a nova cepa seria 70% mais transmissível. Aliás, o governo britânico classificou a situação como “fora de controle”. O resultado foi a aplicação de restrições de viagens e comércio por cerca de 40 países ao Reino Unido.

No entanto, cientistas garantem que as vacinas são eficazes contra esta nova mutação, o que não quer dizer que a cautela tenha ido embora por completo. Além disso, o Congresso americano finalmente aprovou, na madrugada de hoje, o tão aguardado pacote fiscal de US$ 900 milhões. O valor será destinado a famílias e empresas para enfrentar os efeitos econômicos da pandemia da Covid-19. E foi nesses dois cenários, de receio com a nova cepa do coronavírus e a aprovação do estímulo à maior economia global, que o Ibovespa conseguiu fechar a sessão no azul.

 

Veja as maiores variações do Ibovespa no dia

Em suma, 45 das 77 ações que compõem a carteira do Ibovespa apresentaram alta no dia. Ao todo, movimentaram R$ 17 bilhões, um dos menores volumes diários do ano. Nesse sentido, ações de frigoríficos e de produtoras de papel e celulose tiveram os maiores destaques do dia. A maior variação do dia ficou com a PetroRio (5,44%), que adquiriu uma nova sonda e converteu ontem (21) um financiamento ponte de US$ 100 milhões em um de longo prazo. No top cinco, também ficaram Suzano (4,45%), Minerva (4,11%), JBS (3,57%) e Klabin (3,49%).

Por outro lado, a maior queda percentual do dia ficou com a CVC (-6,32%). Embraer (-3,75%) e Azul (-3,37%) completaram o top três das maiores quedas. A Gol não ficou no top cinco das quedas, mas também teve forte retração no dia, de -2,71%. Ou seja, as empresas do setor de viagens e turismo continuam muito afetadas pela pandemia da Covid-19 e acumulam perdas muito expressivas no acumulado do ano. Cogna (-3,02%) e Hering (-2,82%) fecharam o top cinco.

 

LEIA MAIS

Impacto fiscal de medidas contra Covid-19 chega a R$ 620,5 bilhões no ano

Vendas no Tesouro Direto superam resgates em R$ 28,3 milhões em novembro

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.