Ibovespa opera em queda, com realização de lucros por parte dos investidores

No último pregão (8), o índice bateu recorde de fechamento, acima dos 125 mil pontos

0

O principal índice acionário da bolsa de valores brasileira, a B3, opera em queda no pregão desta segunda-feira, dia 11. Em resumo, há um movimento global por parte dos investidores de realização de lucros. Ou seja, eles estão indicando uma preferência por resgatar valores conquistados nas últimas altas dos mercados globais. Dessa forma, o Ibovespa tende a seguir um caminho de queda. Aliás, por volta das 11h40, o índice apresentava queda de 0,63%, caindo para 124.288 pontos.

A saber, no último pregão da bolsa brasileira, realizado na sexta-feira (8), o Ibovespa conquistou sua máxima histórica de fechamento, alcançando 125.076,63 pontos. Já as bolsas europeias encerraram a semana passada com o melhor resultado em quase dois meses. E tudo isso aconteceu, principalmente, devido ao otimismo dos mercados globais com a expectativa por novos estímulos vindos dos Estados Unidos. Nesse sentido, a vitória dos democratas no Congresso americano aumentou a sensação de liberação de um pacote fiscal ainda maior.

 

Impactos dos cenários global e local no Ibovespa

Esta segunda-feira está sendo marcada por correção em diversos ativos de risco, como bolsas e moedas. Estes ativos atingiram níveis recordes nos últimos dias. Ao mesmo tempo, o número de infecções e mortes provocadas pela Covid-19 continua crescendo ao redor do mundo. Os Estados Unidos, país com o maior número de casos e mortes, ultrapassou, pela primeira vez na semana passada, a marca de quatro mil óbitos no período de 24 horas. Além disso, as novas variantes mais contagiosas do coronavírus, descobertas, inicialmente, no Reino Unido e na África do Sul, continuam se espalhando rapidamente. Já a China registrou o maior número diário de casos desde o final de julho do ano passado.

Por fim, também vale ressaltar a nova estimativa do mercado financeiro para a inflação em 2020 no Brasil. Em suma, houve uma leve queda na projeção, que passou de 4,38% para 4,37%. No entanto, para o ano de 2021, a estimativa apontou alta de 4,32% para 4,34%.

 

LEIA MAIS

Inflação medida pelo IPC-S desacelera nas sete capitais pesquisadas

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.