Ibovespa encerra último pregão antes do Natal com alta de 1,00%

Apesar dos ganhos nas duas últimas sessões, o índice fechou a curta semana em queda

1

O Ibovespa encerrou o último pregão antes do Natal com alta expressiva de 1,00%. Dessa forma, com os avanços seguidos registrados nas duas últimas sessões, o índice conseguiu apagar quase toda a perda sofrida na segunda-feira. Em resumo, a aversão ao risco nos mercados devido à descoberta de uma nova variante do coronavírus, com taxa de contágio 70% superior, marcou o dia . Aliás, neste dia, o Ibovespa sofreu forte queda de 1,86% e, apesar dos ganhos de ontem (22) e hoje, não conseguiu eliminar por completo toda a perda.

No término da sessão de hoje, o Ibovespa chegou aos 117.806,85 pontos. E os principais fatores que deram força às bolsas ao redor do mundo vieram dos Estados Unidos. O presidente Donald Trump afirmou não concordar com o envio do valor de US$ 600 dólares, definido no Congresso americano, às famílias em dificuldades. O presidente bateu o pé e espera que o valor suba para US$ 2.000. E, nesta quinta-feira (24), está prevista a votação desse ajuste.

Além disso, o novo presidente eleito, o democrata Joe Biden, está prestes a assumir o posto de Trump. Ou seja, os mercados estão ainda mais ansiosos, já que ele disse que irá trabalhar para que ocorra aprovação de mais uma leva de socorro à economia americana. E tudo o que os mercados desejam é a entrada de mais dólares em movimento, com retornos financeiros mais robustos nesta era marcada por juros baixos.

 

Veja as maiores variações do dia no Ibovespa

Das 77 ações da carteira do índice, 55 registraram ganhos no dia, que movimentou R$ 15 bilhões. A propósito, o giro é fraco, na comparação com a média de dias normais, mas esperado para essa época do ano. E os novos acontecimentos na Europa também contribuíram para o saldo positivo do Ibovespa nesta quarta. Em suma, o relaxamento nas restrições ao Reino Unido permitiu avanço das ações de companhias aéreas, que vinham acumulando fortes perdas na semana. Ao mesmo tempo, a alta do petróleo também deu gás às petroleiras do índice.

No geral, o top cinco das maiores altas percentuais do Ibovespa foi formado por: PetroRio (10,81%), Azul (6,89%), Gol (5,32%), Usiminas (4,65%) e Embraer (4,14%). Por outro lado, as variações negativas mais intensas ficaram com: Minerva (-2,54%), Suzano (-2,27%), Klabin (-1,94%), RaiaDrogasil (-1,69%) e Marfrig (-1,67%).

 

LEIA MAIS

Rendimento domiciliar per capita é maior que o dobro nos domicílios sem auxílio emergencial

Número de pessoas trabalhando de maneira remota continua caindo

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.