Homem trocava drogas por televisão e outros produtos roubados no MS

De casa e usando tornozeleira eletrônica, ele estava vendendo drogas e também trocando o entorpecente por televisores e outros produtos furtados

0

Dentro de casa e usando tornozeleira eletrônica. Foi assim que a Polícia Civil encontrou e prendeu um homem, nesta segunda-feira (22), em Campo Grande (MS), acusado de estar vendendo cocaína e também trocando o ilícito por televisores e outros produtos furtados.

Leia também: Trio finge ser da polícia, entra em casa e mata jovem

Em nota, o delegado Mikaill Faria, responsável pelas investigações, relatou que o suspeito ia além, e apresentava outros produtos para seus “clientes” como maconha e pasta base. Durante buscas no local, os policiais também encontraram um usuário em um imóvel – suposto freguês do preso.

De casa e usando tornozeleira eletrônica, ele estava vendendo drogas e também trocando o entorpecente por televisores e outros produtos furtados.
De casa e usando tornozeleira eletrônica, ele estava vendendo drogas e também trocando o entorpecente por televisores e outros produtos furtados. (Foto: reprodução)

De acordo com a Polícia Militar (PM), o usuário foi flagrado enquanto consumia a droga e acabou entregando onde havia adquirido o entorpecente. Na ação da PM, Foram apreendidas porções de pasta base, embrulhadas e prontas para venda, além de R$ 244.

Na casa do acusado, os agentes também apreenderam cinco receptores de televisão via satélite. O homem, que não teve sua identidade revelada, foi autuado em flagrante por tráfico de drogas, com pena que varia de 5 a 15 anos de reclusão.

Também no MS

Outra ocorrência registrada no MS  foi a prisão da jovem Gabriela Moraes, de 22 anos, moradora de Mundo Novo. De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMR), a mulher foi abordada tentando transportar drogas usando um carro de aplicativo.

De acordo com a PMR, a equipe abordou um veículo de aplicativo e as duas malas encontradas no porta malas continham dez tabletes de maconha, pesando 10 kg. Aos agentes, Gabriela confessou ser a dona do entorpecente.

Por fim, a jovem, que deve responder por tráfico de drogas, disse que ela teria sido contratada por uma pessoa chamada  “Larissa” para fazer o transporte até Campo Grande (MS), pela quantia de R$ 2 mil.

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Instagram para acompanhar todas as notícias!

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.