Hepatite A: saiba quais são os sintomas e como se prevenir

Doença tem voltado a aumentar no país, mediante forma de transmissão sexual.

0

A hepatite A é uma doença infecciosa viral que possui um alto índice de endemicidade em locais onde as condições sanitárias são mais precárias. Isso porque sua principal via de contágio é a fecal-oral, a qual se dá por consumo de água e alimentos contaminados, condição favorecida em locais cujo saneamento básico é ineficiente, especialmente em países subdesenvolvidos.

Em 2017, ocorreu um surto de hepatite A no estado de São Paulo, no qual foram totalizados 911 casos notificados. A principal faixa etária afetada era a compreendida entre 20 e 34 anos. Já o sexo mais afetado foi o masculino (85%) e, segundo o Boletim Epidemiológico, do Ministério da Saúde, publicado em 2018, esse aumento, que quase dobrou de quando comparado o ano de 2016 com o ano de 2017, provavelmente esteja relacionado com o sexo anal desprotegido.

O vírus causador da hepatite, após ser inoculado, infecta as células do intestino e é levado pela corrente sanguínea portal até o fígado, onde se prolifera. Ainda não foi comprovado o mecanismo de lesão hepática, mas há evidencias de que o vírus produza uma resposta imunitária que tem relação com a lesão dos hepática na hepatite aguda.

Sinais e sintomas da hepatite A

A patologia normalmente é de curta duração e autolimitada, sem evolução para forma crônica e também não possui relação com câncer hepático. Nessa fase aguda, apresenta-se como uma doença febril esporádica, além de apresentar sintomas como a fadiga, perda de apetite, icterícia (pele amarelada) e aumento do fígado. Formas mais graves da doença geralmente são encontradas quando a infecção ocorre em indivíduos adultos e, ainda assim, é muito raro um quadro de hepatite fulminante nesse caso.

Além disso, o indivíduo infectado por ter diarreia, a qual se dá por uma diminuição na produção e secreção de sais biliares, devido ao comprometimento das células hepáticas pelo vírus e à resposta imunitária. Com isso, haverá uma deficiência na absorção de lipídios, adquiridos pela dieta do paciente, no intestino, gerando a esteatorreia, caracterizada por excesso de gordura nas fezes.

O tratamento para hepatite A somente visa a reduzir as manifestações clínicas, não tendo um tratamento específico para a doença. O paciente deve permanecer em repouso durante o curso da doença e evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

Como prevenir a doença?

Consideradas as formas de transmissão, a prevenção está diretamente relacionada às condições de higiene e saneamento. É importante lavar sempre as mãos antes de comer e ir ao banheiro. Além disso, é necessário higienizar muito bem as hortaliças e frutas que são consumidas cruas. A vacinação também passou a constituir importante agente protetor, embora seja garantida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) apenas para grupos considerados de risco, como crianças e pacientes com histórico de doenças hepáticas prévias.

Assim, percebe-se que a hepatite A é uma doença que pode ser prevenida e que vem apresentando diminuições em suas taxas de ocorrência, embora ainda esteja presente na realidade brasileira e, desse modo, precisa ser combatida.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.