Governo solicita entrega imediata de 6 milhões de doses da Coronavac

"Ressaltamos a urgência na imediata entrega do quantitativo contratado", afirmou o documento, endereçado ao diretor do Instituto Butantan

3

Um ofício enviado pelo Ministério da Saúde ao Instituto Butantan nesta sexta-feira (15) pediu a entrega “imediata” de 6 milhões de doses da Coronavac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com Instituto.

Leia também: “Essa de 50% é uma boa?”, questiona Bolsonaro sobre a CoronaVac

“Solicitamos os bons préstimos para disponibilizar a entrega imediata das 6 milhões de doses importadas e que foram objeto do pedido de autorização de uso emergencial perante a Anvisa”, diz o documento, que foi assinado pelo diretor do Departamento de Logística em Saúde, Roberto Ferreira Dias, e endereçado ao Diretor do instituto, Dimas Covas.

“Ressaltamos a urgência na imediata entrega do quantitativo contratado e acima mencionado, tendo em vista que este ministério precisa fazer o devido loteamento para iniciar a logística de distribuição para todos os estados da federação de maneira simultânea e equitativa, conforme cronograma previsto no Plano Nacional de Operacionalização da vacinação contra a Covid-19”, ressaltou o ministério.

Eficácia da Coronavac 

Na última terça (12), o Instituto Butantan revelou em coletiva de imprensa que a CoronaVac registrou 50,38% de eficácia global nos testes realizados no Brasil.

De acordo com o Butantan, a eficácia global aponta a capacidade da vacina de proteger em todos os casos: leves, moderados ou graves.

Vale lembrar que o número mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e também pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é de 50%.

Em casos graves 

Segundo o diretor de pesquisa do Instituto Butantan, Ricardo Palácios, os cientistas acreditam que vacina tinha que ter uma eficácia menor em casos mais leves e uma eficácia maior em casos moderados e graves. Na semana passada, o instituto revelou que a Coronavac é 100% eficaz contra os casos em que a gravidade é elevada.

“Nós conseguimos demonstrar esse efeito biológico esperado. Esta é uma vacina eficaz. Temos uma vacina que consegue controlar a pandemia através desse efeito esperado que é a diminuição da intensidade da doença clínica”, afirmou Ricardo Palácios.

Leia também: Brasil é considerado o país que pior enfrenta a pandemia

De acordo com ele, a vacina foi testada somente em profissionais da saúde, visto que essas pessoas estão muito mais expostas ao vírus do que a população em geral. “O teste não é a vida real exatamente. É um teste artificial, no qual selecionamos dentro das populações possíveis, selecionamos aquela população que a vacina poderia ser testada com a barra mais alta”, finalizou.

Leia Também:

3 Comentários
  1. […] Leia também: Governo solicita entrega imediata de 6 milhões de doses da Coronavac […]

  2. […] CoronaVac é da farmacêutica chinesa Sinovac/Biontech e, no Brasil, é produzida conjuntamente com o Instituto Butantan. Ela teve o uso emergencial […]

  3. […] O Instituto Butantan, que é responsável pela produção da vacina chinesa no Brasil, tem receio que o impasse entre os países atrapalhe a chegada do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), princípio ativo da Coronavac. […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.