Governo revela quais cadastros do auxílio emergencial estão sendo investigados

0

O Ministério da Cidadania em ação conjunta com o Ministério Público Federal e a Polícia Federal estão realizando investigações para combater fraudes no pagamento e concessão do auxílio emergencial de R$600.  

Segundo informações divulgadas pelo Ministério da Cidadania, atualmente, mais de 1,3 milhão de cadastros de pessoa física (CPFs) estão em processo de reanálise. 

O Ministério declarou ainda, que a ação tem por objeto de interesse, grupos organizados que estão lesando os sistemas utilizados para a análise de dados dos requerentes do benefício. 

A Caixa Econômica Federal, em breve será integrada na operação, e ficará encarregada de identificar e informar saques feitos de modo irregular, por pessoas que não são titulares do benefício, saques com cartões clonados ou acesso indevido às contas beneficiadas. 

“Mesmo com o nosso altíssimo índice de acerto no pagamento do auxílio emergencial, ainda há grupos criminosos que insistem em burlar o sistema. Então, essa parceria vai aumentar os instrumentos de controle a partir do cruzamento de informações para encontrarmos e punirmos esses criminosos”, declarou o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni. 

Base de dados

Os registros de movimentação irregular serão anexados a BNFAE (Base Nacional de Fraudes no Auxílio Emergencial), entidade elaborada pela Polícia Federal exclusivamente para investigar e identificar a atuação criminosa no benefício. 

Os dados presentes na BNFAE poderão ser compartilhados com outros órgãos de interesse. O objetivo é que o cruzamento da base de dados, e denúncias, forneçam provas suficientes, para a abertura de investigações no Ministério Público Federal. 

Como devolver o Auxílio Emergencial?  

Para solicitar a devolução de verba indevida, o cidadão precisa acessar o site e adicionar o CPF do beneficiário. 

Após o preenchimento das informações, será emitida uma Guia de Recolhimento da União (GRU), e o beneficiado poderá realizar o pagamento através das ferramentas oferecidas pelo Banco do Brasil, como a internet e os terminais de autoatendimento, além dos guichês de caixa das agências.  

Denúncias 

Denúncias sobre o uso indevido do programa podem ser direcionadas ao Fala.Br (Plataforma integrada de Ouvidoria e Acesso à Informação da CGU).

No sistema de consulta do auxílio emergencial o cidadão consegue verificar se o seu CPF foi utilizado de modo indevido para o recebimento do benefício.    

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.