Governo Bolsonaro aprovou 22 planos de demissão em dois anos

De acordo com dados do próprio Governo, o país teve dezenas de planos de demissão voluntária nos dois anos de Bolsonaro no poder

1

O Governo do presidente Jair Bolsonaro aprovou em dois anos 22 planos de demissão voluntária. No mundo do direito trabalhista, são os PDV’s. Neles, o empregado escolhe se demitir e ganha algumas vantagens da empresa em que trabalha.

De acordo com os dados do próprio Governo, esses 22 planos incluem ações de demissões em estatais como o Banco do Brasil, a Caixa Econômica e a Eletrobrás. Mas a lista é de fato bem maior. Se considerarmos apenas o ano de 2019, cerca de 12 mil funcionários passaram por demissão com as PDV’s.

O Governo ainda não fechou os dados finais de 2020. Seja como for, o Governo abriu possibilidade de demissão voluntária para cerca de 35 mil empregados. Na última segunda-feira (11), o Banco do Brasil anunciou mais uma.

Mas não há dúvidas de que esse plano do Banco do Brasil é diferente. Pelo menos se levarmos em consideração o tamanho dele. O programa pretende demitir cerca de 5 mil empregados voluntários e fechar cerca de 360 unidades, incluindo aí várias agências por todo o Brasil.

Quem permite a realização dessas PDV’s é a Secretaria de Coordenação e Governança de Estatais (Sest). Trata-se portanto de um órgão do governo. Essa secretaria só não tem poder de tomar essa decisão na Petrobras, que tem uma lógica própria.

Demissões no Banco do Brasil

Oficialmente, o presidente Jair Bolsonaro ainda não falou nada sobre o tema. Seja como for, informações de bastidores mostram que ele não está gostando nada dessa decisão do Banco do Brasil. O próprio vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) confirmou que o presidente estava conversando com o Ministro Paulo Guedes sobre o assunto.

Seja como for, no meio dessa confusão está o trabalhador. Neste momento, os milhares de funcionários do Banco do Brasil estão cobrando uma explicação. Ao mesmo tempo, eles devem estar com medo da possível resposta. Passar por uma demissão agora não é algo que nenhum trabalhador deseja.

Leia Também:

1 comentário
  1. […] O programa de demissões e fechamentos de agências do Banco do Brasil deve passar por ajustes. Pelo menos é isso o que diz uma reportagem de jornalistas do jornal Estadão. De acordo com a matéria, o programa vai seguir. […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.