Google anuncia construção de cabo submarino para ligar Brasil a EUA

Novo cabo do Google também ligará Argentina e Uruguai à costa leste americana para tornar o acesso dos usuários mais rápido

0

O Google anunciou que está construindo um novo cabo submarino para ligar o Brasil aos Estados Unidos. De acordo com a empresa, o cabo também permitirá a ligação da Argentina e do Paraguai à costa leste americana. O objetivo é aumentar a capacidade de conexão à internet entre os países.

A saber, o cabo submarino possui o nome de Firmina e sairá da cidade argentina Las Toninas, que fica a 337 km da capital Buenos Aires. O cabo seguirá à costa leste dos EUA, mas, no caminho, se conectará às cidades de Punta del Este, no Uruguai, e Praia Grande, no Brasil. Este município fica no estado de São Paulo.

Com essa nova construção, o Google espera que os usuários destes três países da América do Sul tenham uma melhora no acesso aos seus serviços. Isso inclui o serviço de buscas, além dos acessos ao Gmail, YouTube e Google Cloud. A propósito, o Firmina contará com 12 pares de fibra ótica para melhorar a conexão.

Veja mais detalhes do cabo submarino do Google

Segundo o Google, o Firmina será o cabo mais longo do mundo. Pelo menos entre os que conseguem funcionar com fonte de energia somente em uma de suas extremidades. Dessa forma, o tráfego continua em funcionamento, mesmo que haja indisponibilidade temporária de outras fontes.

“A capacidade do Firmina de funcionar com uma única fonte de energia em uma das pontas é importante, pois garante confiabilidade, uma das principais prioridades do Google para a rede”, afirmou a companhia em nota. Aliás, o anúncio da construção do novo cabo submarino aconteceu nesta quarta-feira (9).

Vale destacar que o uso de uma fonte de energia em apenas uma das extremidades acontece de maneira mais comum em cabos curtos. Na verdade, há bastante dificuldade desta prática acontecer em cabos mais longos, pois estes precisam amplificar o sinal de luz em alguns pontos de seu trajeto.

Por fim, o Google afirmou que o Firmina, apesar de longo, funcionará desta forma, com apenas uma fonte de energia. E isso acontecerá porque o cabo receberá uma voltagem 20% maior quando comparada à utilizada em sistemas anteriores.

Leia Mais: Diageo retira suas marcas Smirnoff e Johnnie Walker da Copa América no Brasil

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.