Fundação Hospitalar do Acre passa a realizar exame de elastografia por ultrassom

0

No Acre, o exame de elastografia hepática por ultrassom começou a ser realizado nesta última quinta-feira (22). Com isso, o objetivo é beneficiar os pacientes da rede pública estadual.

De acordo com a Secretaria da Saúde do Acre (Sesacre), esse exame trouxe agilidade e modernização para a equipe médica do Serviço de Assistência Especializada na Fundação Hospitalar do Acre.

Esse procedimento é considerado seguro e eficaz no diagnóstico e definição do estágio da fibrose hepática, além de ser indolor e não invasivo, uma vez que dispensa procedimento cirúrgico.

A Sesacre explica que com esse procedimento é possível acompanhar diversas enfermidades que afetam o fígado. Dentre as quais, citam-se: a cirrose, hepatites, doença de Wilson, hemocromatose e colangite esclerosante primária.

“Anteriormente, para se ter conhecimento do nível de comprometimento do órgão, era realizada a biopsia hepática, exame que necessitava de procedimento cirúrgico, com anestesia, e que permitia a visualização do fígado comprometido por lesões”, informa a Secretaria.

Além disso, o método tem a vantagem de não não causar desconforto. Neste caso, é requerido que o paciente esteja deitado com o abdômen para cima, a fim de que o médico possa capturar imagens para a identificação do estado do fígado.

“O elastografia faz parte da rotina de acompanhamento de pacientes que têm problemas no fígado e é feito por meio de um aparelho adaptado de ultrassom”, explica o médico Thor Dantas, infectologista na Fundhacre, em matéria publicada pela Sesacre.

Elastografia na Rede Pública

De acordo com o Ministério da Saúde, a Elastografia Hepática Ultrassônica integra o novo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Hepatite C, sendo que a portaria nº 47 estabelece sua incorporação na rede pública de saúde. A incorporação foi recomendada pela Comissão de Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec).

Veja também: O que faz mal para o fígado e as principais causas

Com informações da Ascom Sesacre e do Ministério da Saúde

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.