Flamengo gastou mais de R$22 milhões com multa rescisória

Rubro-negro demitiu seus últimos quatro treinadores.

0

O futebol brasileiro é conhecido por ser um dos países onde mais se troca de treinador. Quer dizer, com pouquíssimas exceções, os treinadores no Brasil não costumam ter trabalhos de longa duração. No caso do Flamengo, por exemplo, a gestão de Rodolfo Landim já está indo para o sétimo comandante em três anos e meio. Isto é, média de pouco mais de seis meses para cada.

Além disso, é válido destacar que Dorival Júnior era o treinador do Flamengo quando Landim foi eleito, e foi justamente o presidente que acabou optando por permanecer com o treinador. Na época, Landim acertou com Abel Braga para o início de 2019. Depois de alguns meses, Abel pediu demissão e Jorge Jesus assumiu o Flamengo.

Com Jesus, o Fla foi campeão de tudo e teve o chamado “ano mágico”, mas o treinador optou por sair em 2020 e assumir o Benfica-POR. A partir daí que o problema começa. Apostando em Domènec Torrent, o Flamengo precisou desembolsar cerca de R$11,4 milhões de reais para demiti-lo após 23 partidas.

Rodolfo Landim recusa convite para presidência do conselho da Petrobras
Rodolfo Landim é o presidente do Flamengo desde o começo de 2019. Foto: Divulgação.

Flamengo deve manter Dorival Júnior até o fim do ano

Com a saída de Domènec Torrent, o Flamengo teve a mesma estratégia de agora e foi buscar seu técnico no estado do Ceará. Na época, trouxe Rogério Ceni e permaneceu com o treinador por mais tempo. Ao todo, Ceni dirigiu o Flamengo por 45 jogos, tendo vencido o Brasileirão de 2020, o Cariocão de 2021 e a Supercopa do Brasil, também de 2021.

Mesmo com os títulos, os problemas de relacionamento fizeram o Flamengo demitir Ceni e desembolsar R$3 milhões. Na sequência, contratado sem estipular multa rescisória, Renato Gaúcho teve um excelente começo a frente do clube da Gávea. Entretanto, a derrota na final da Libertadores pesou muito e ele acabou sendo despedido.

Por fim, após mais de um mês na Europa em busca de um técnico, Paulo Sousa foi o escolhido pela diretoria em dezembro. Contudo, mesmo tendo trocado a Seleção Polonesa pelo Fla, seus resultados ficaram insustentáveis e ele foi mais um demitido. Dito isso, o Mengão precisará desembolsar R$7,7 milhões pela rescisão.

Com contrato apenas até dezembro, Dorival Júnior deve terminar a temporada a frente do Mengão, mas a falta de planejamento é algo que fica provado com esse altíssimo gasto com rescisões. Agora, o torcedor só espera voltar a ver em campo um dos melhores times do país.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.